Domingo, 18 Novembro 2018 19:11

Órfão encontra família por causa do esporte Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)
Lucas Antunes, do Colégio Santa Teresinha, de Florianópolis (à esquerda) conheceu o imão biológico no atletismo de São José Lucas Antunes, do Colégio Santa Teresinha, de Florianópolis (à esquerda) conheceu o imão biológico no atletismo de São José Alexandre Loureiro/Exemplus/COB

O primeiro dia do atletismo nos Jogos Escolares da Juventude Natal 2018 foi pródigo em emoção e histórias marcantes. Na pista e no campo, as maiores promessas do esporte brasileiro enfrentaram o sol e a forte concorrência na busca por medalhas e índices para eventos internacionais. No total, três recordes de campeonato foram batidos e seis novos campeões da maior competição escolar do país foram conhecidos.

A disputa mais emocionante do dia foi nos 75m masculino categoria 12 a 14 anos. O jovem Lucas Gabriel Fernandes Antunes, do Colégio Santa Terezinha, de Florianópolis (SC), que havia batido o recorde da competição pela manhã na prova eliminatória com 8s63, patinou na largada no tiro decisivo, mas conseguiu se recuperar e conquistou a medalha de prata. O ano de 2018 foi sem duvida um ano inesquecível na sua vida.

“Comecei a treinar para o atletismo em março desse ano. Em maio encontrei o meu irmão biológico através do esporte em um dia de treinamento na UCA (União Catarinense de Atletismo), em São José, e isso mudou a minha vida. Passei a treinar com ele, e como é bem mais velho, têm 21 anos, ele me puxa. Melhorei muito as minhas marcas e agora bati o recorde da competição. Pena que na final eu me desequilibrei na largada. Mesmo assim ainda vou sair com a medalha de prata na prova e quem sabe eu não conquisto outro pódio”, disse o jovem de 14 anos.

Lucas foi adotado pela nova família aos 6 anos de idade, por isso não se lembrava do irmão Douglas da Silva Ribeiro. Douglas garantiu que aquele rosto era familiar e conseguiu provar que Lucas era de fato o seu irmão caçula. “Ainda conheci as minhas outras duas irmãs. Foi emocionante. Um dia inesquecível na minha vida. Se não fosse o atletismo eu talvez nunca tivesse a chance de conhecê-los”, afirmou.

O jovem atleta ainda corre com uma sapatilha emprestada, mas a escola apoia muito o atletismo e garantiu que dará um novo par de sapatilhas especiais para a jovem promessa do esporte brasileiro. “Me prometeram uma sapatilha nova se eu conquistasse resultados. Mas ainda não estou pensando nisso. Em dezembro vou disputar os Jogos Sul-americanos Escolares em Lima, no Peru, minha primeira competição internacional. Sou o segundo do ranking brasileiro e espero melhorar ainda mais as minhas marcas”, espera o jovem atleta.

A medalha de ouro na prova dos 75m masculino ficou com Enzo da Castro Barros, do Colégio Jardim das Nações, de Taubaté (SP). Ele venceu a final com o tempo de 8s66, marca que correspondia ao antigo recorde da competição e pertencia a Paulo César Junior desde Brasília 2005, uma das marcas mais antigas dos Jogos Escolares da Juventude.

Enzo garantiu que o recorde do rival catarinense o impulsionou na vitória e na conquista da sua melhor marca pessoal. “Fiquei um pouco surpreso com a vitória porque o Lucas estava correndo muito bem e me venceu nas eliminatórias e na semifinal. Mas confio no meu potencial e consegui alcançar a minha meta que era melhorar a minha marca”, disse o jovem atleta, logo após a prova.

A medalha de bronze ficou com Jarley Campanaro Cuellar, da Escola Estadual Joaquim Pereira da Rocha, de Machadinho D`Oeste (RO). Esse foi a terceira medalha de atletas de Rondônia nos Jogos Escolares da Juventude – as duas primeiras foram conquistadas por Orlando Sousa, no ciclismo. “Enfrentei 12 horas de ônibus do meu município até Porto Velho e mais dez horas de viagem de avião, com duas conexões para chegar aqui em Natal. Tudo recompensado com essa medalha. Ainda melhorei o meu tempo que era de 8s82 e fiz 8s69. Fiquei em terceiro, mas apenas três centésimos de segundo do campeão”, disse Jarley.

Os Jogos Escolares da Juventude são organizados e realizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), correalizados pelo Ministério do Esporte e Grupo Globo, com patrocínio da Coca-Cola e parceria do Governo do Estado do Rio Grande do Norte.

Fonte: COB

Lido 296 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.