Quinta, 08 Agosto 2019 21:25

Pati: uma supercampeã pra motivar a equipe da Adell Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)
Patricia Maldaner (no alto, à esquerda) tem sido uma amiga e uma motivaão para as meninas do "Lurdão" Patricia Maldaner (no alto, à esquerda) tem sido uma amiga e uma motivaão para as meninas do "Lurdão" Foto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Com apenas 16 anos, Patrícia Dawes Maldaner já coleciona importantes títulos de categorias de base de futsal e futebol, pelo Colégio José Marcolino Eckert, de Pinhalzinho, e pela Escola Lourdes Lago, de Chapecó. Nesta 37ª edição dos Jogos Escolares de Santa Catarina (Jesc) para estudantes de 12 a 14 anos, ela vivencia a competição sob um novo olhar: o de auxiliar técnica.

“Essa é uma experiência que me ajuda muito como atleta, por estar do outro lado e perceber que um trabalho de técnico não é muito fácil. A gente às vezes reclama sem saber o que é ser técnico”, disse Pati, como é tratada pelas companheiras de equipe. 

Influenciada por uma família amadores de futebol desde os seus oito anos, Patrícia passou a treinar numa escolinha de Pinhalzinho, sua cidade natal. Entre os doze e treze anos de idade, já começava a treinar na equipe de rendimento.

 O talento da bela ruiva ajudou sua escola a obter os principais títulos em 2015, em âmbito estadual, nacional e internacional. A equipe levantou cinco troféus naquele ano, o dos Jesc 12-14, do Catarinense de Futsal Feminino Sub13, do Moleque Bom de Bola, dos Jogos Escolares da Juventude (em Fortaleza), e dos Jogos Escolares Sul-Americanos da Juventude (no Paraguai). “Cresci bastante a partir da conquista do Sul-Americano. Foi essencial. E os Jesc são uma das competições mais importantes porque dá vaga para o Brasileiro e, especificamente no  12 a 14 anos, para o Sul-Americano”, afirmou.

Pati fala da experiência como auxiliar técnica da equipe de futsal feminino da Escola Lourdes Lago, de Chapecó, nos Jesc 12-14, em Curitibanos

Ainda pelo Colégio José Marcolino Eckert, conquistou em 2016 o título do futsal no estadual da Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc) e o Estadual de Futsal Feminino Sub-15. Em 2018, Pati passou a integrar a equipe da Associação Desportiva Lourdes Lago (Adell), de Chapecó, obtendo o título do futebol nos Joguinhos Abertos daquele ano, além dos campeonatos catarinenses sub15 e sub17.

 Já em 2019, veio a conquista do Brasileiro Feminino Sub18 e a terceira colocação no Campeonato Mundial Escolar de Futebol Feminino, na Sérvia, em abril. Ala no futsal e meia no futebol, Patrícia que diz que não tem planos para longo prazo. Inicialmente ela pensa numa convocação para a seleção sub17 de futsal. “Para chegar aonde quero, preciso continuar me esforçando, conquistando títulos e ganhando experiência”, destacou.

Em relação às meninas que estão começando agora, ela enfatiza que é importante aproveitar, porque há muita competição em que elas podem se destacar. “Essas competições promovem o desenvolvimento individual e a evolução da equipe”, completou Pati, que nega que pretenda ser treinadora, mas acha bastante positiva a experiência como auxiliar.

“É um orgulho para nós ter a Pati como auxiliar técnica. Além de ser atleta, é nossa amiga dentro e fora de quadra. Como tem vários títulos, ela consegue trazer pra nós essa experiência”, comentou a capitã Thaís.

A equipe da Escola Lourdes Lago venceu nesta tarde a Escola Padre Antônio Vieira, de Anita Garibaldi, de virada, por 3 a 2, e segue na competição, nas quartas de final, enfrentando a equipe da Brigadeiro Eduardo Gomes, de Florianópolis, às 8h30min, no Ginásio Vereador Darci de Almeida.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Lido 1001 vezes Última modificação em Sexta, 09 Agosto 2019 00:30

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.