Imprimir esta página
Terça, 25 Agosto 2020 19:07

Anjos do Futsal: um modelo de projeto social público-privado Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(1 Voto)
Rui Godinho (C) e Coronel Cabral exibem camisas do Projeto Anjos do Futsal, entre Fabrício Correia e Talis Fagundes (E) e Jean Reis (D) Rui Godinho (C) e Coronel Cabral exibem camisas do Projeto Anjos do Futsal, entre Fabrício Correia e Talis Fagundes (E) e Jean Reis (D) Foto: Divulgação

Aproveitando a viagem ao Sul do estado, na última quinta-feira (20), os dirigentes da Fesporte estiveram em Criciúma para conhecer um importante projeto de parceria público-privada entre 22 municípios da região e a empresa Anjo Tintas. O Projeto Social Anjos do Futsal, que atende cerca de 1,2 mil  possui 26 núcleos, quatro deles na cidade de Criciúma.

A idealização do projeto começou nos anos de 1999, quando já se observavam sinais de crescimento de violência urbana na cidade de Criciúma. Em parceria com a Fundação Municipal de Esporte da cidade, criou-se o projeto Anjos do Futsal, que teve início em 2001, objetivando oferecer qualidade de vida, promover foco e objetivo a crianças e adolescentes, afastando-os das ruas por intermédio da prática do futsal. 

A parte operacional do projeto é executada pela Anjo Tintas, o que implica distribuição de materiais e uniformes, além da organização quanto a inscrições e horários de atividades. Cabe aos Municípios envolvidos a cessão de profissionais e locais de treinamento. Já em Criciúma, o projeto tem a parceria da Unesc.

O encontro aconteceu na sede do Sindicato da Indústria de Extração de Carvão do Estado de Santa Catarina (Siecesc). Além do presidente Rui Godinho da Mota, também compunham o grupo de dirigentes da Fesporte o assessor Fabrício Correia e o gerente de esporte de rendimento, Luciano Heck. O Conselho Estadual de Esporte também esteve representado pelo conselheiro Talis Giovani Fagundes. Eles foram recebidos pelo coordenador geral do Anjos do Futsal, Coronel Cabral, e pelo coordenador técnico, Jean Reis.

“Interessa muito à Fesporte conhecer o que se tem realizado de projetos sociais na área de esporte, o engajamento do setor privado, os modelos e resultados, para que possamos trocar ideias e experiências, agregando valores e conceitos às ações do Estado em políticas públicas voltadas ao esporte”, disse Godinho.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Lido 229 vezes Última modificação em Quarta, 26 Agosto 2020 15:58
Heron Queiroz

Mais recentes de Heron Queiroz