Imprimir esta página
Quarta, 24 Abril 2019 22:54

Palhoça abre microrregional dos Jogos da Terceira Idade Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)
Coreografia "Encanto de Rosas", de São José, venceu na categoria dança livre Coreografia "Encanto de Rosas", de São José, venceu na categoria dança livre Foto: Heron Queiroz

Em pleno aniversário de 125 anos de emancipação, nesta quarta-feira (24), o Município de Palhoça abre as competições dos Jogos Abertos da Terceira Idade de Santa Catarina (Jasti) na microrregião da Grande Florianópolis, classificatória para a etapa estadual, que acontece em Gaspar, de 20 a 24 de maio.

Presente no cerimonial de abertura e nas competições de dança, no Clube 7 de Setembro, o presidente da Fesporte, Rui Godinho, destacou a importância da prática esportiva na terceira idade e o compromisso do Estado em realizar, por intermédio da Fesporte, um importante evento como os Jasti. “Ficamos positivamente surpresos e felizes por promover um evento com a energia desse pessoal da terceira idade. Eles são modelos de vitalidade em todas as competições do evento”, completou o presidente.

O evento, que segue até a próxima sexta (26), já definiu os representantes da microrregião nas modalidades de dança para a etapa estadual. Na dança livre, a vencedora foi a coreografia “Rainhas da Noite”, de Florianópolis. O município de São José foi o vencedor, com a coreografia “Encanto das Rosas”, no estilo de dança popular. Na dança de salão, quem levou a melhor na categoria A (60 a 69 anos) foi o casal João Rocha e Margareth de Souza. E na categoria B, Flourino Pinheiro e Iraci Turatti deram o título para os anfitriões.

Na terceira colocação da categoria B, além da regulamentar medalha de bronze, o casal Alma Bouzon e Edegar Querino, da capital, também recebeu medalha de destaque como os mais idosos na modalidade de dança da microrregião. Ele com 82 e ela com quase 94 formam um par com muita vitalidade e simpatia. Dona Alma diz que já perdeu as contas de quantas medalhas já recebeu pela dança, desde que começou a competir há mais de 20 anos, no Sesc; mas garante que tem uma caixa cheia. Depois de parar por quatro edições dos Jasti, dona Alma retorna para esta 12ª edição cheia de energia. “Sou obcecada pela dança, desde meus 15 anos”, disse ela, atribuindo a longevidade à dança e ao seu gênio sempre muito tranquilo.

Seu Edegar participou de todas as edições dos Jasti até aqui e já coleciona quase 50 medalhas na competição. Ele conta com entusiasmo que o evento deixa a terceira idade mais feliz. “Aqui nos Jasti, nós criamos uma amizade muito forte e nos tornamos quase inseparáveis”, disse o representante de Floripa, destacando que além da competição, o clima de confraternização é muito importante.

Rui Godinho (E) entrega medalha de destaque ao casal de dançarinos mais idoso: Alma Bouzon (94) e Edegar Querino (82)                 Foto: Heron Queiroz

Florianópolis não contou nesta edição com o casal tricampeão dos Jasti, na categoria B, Luiz Alberto Caldeira e Ilma Neves. Casados a oito anos, seu Luiz e dona Ilma se conheceram na dança. Pela primeira vez ficam de fora de uma edição em consequência e uma pequena cirurgia que sofreu dona Ilma. Mas seu Luiz garante que o casal volta na próxima edição e que ainda neste ano estará em Gaspar para acompanhar as competições de perto.

Tricampeão Luiz Alberto Caldeira (E) recebe abraço do presidente Godinho                                                                                Foto: Heron Queiroz

A programação segue na quinta (25), com as modalidades de mesa (canastra, dominó e truco), também no Clube 7 de Setembro, e na sexta (26) com as disputas de bocha, nas canchas da Avenida Beira-Mar de São José. Mais de 200 atletas de 9 municípios da Grande Florianópolis estarão disputando vaga para o estadual de Gaspar.

  

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

 

Lido 289 vezes Última modificação em Quinta, 25 Abril 2019 21:41
Heron Queiroz

Mais recentes de Heron Queiroz