Prado

Florianópolis - Gladis dos Santos, Secretária de Desenvolvimento Regional (SDR) de Seara, esteve na tarde desta terça-feira (18) na sede da Fesporte, em Florianópolis, para conhecer o Projeto Escolar Esporte Júnior, desenvolvido pela instituição desde janeiro deste ano. Ao final do encontro com o presidente da Fesporte Erivaldo Caetano Junior, o Vadinho, a secretária elogiou o projeto: “Esta ação é uma grande iniciativa da Fesporte, pois incentiva crianças a praticarem esporte e toda a forma de incentivo esportivo é valido, principalmente quando envolve crianças”.

Após a reunião foi selada uma parceria entre Fesporte e SDR de Seara para a distribuição de kits esportivos que beneficiarão escolas de oito municípios da região. “Cerca de 4.500 alunos  da região de Seara serão beneficiados’, revelou Gladis.

O Projeto Escolar Esporte Júnior, desenvolvido pela Fesporte, tem como objetivo dar a oportunidade de crianças e adolescentes a praticarem esportes  nas escolas da rede de ensino de Santa Catarina como basquete, vôlei, tênis e até modalidades pouco conhecidas como badminton e hóquei. Os kits são compostos por materiais necessários para a prática das modalidades: redes, cestas, raquetes, cones demarcatórios de quadra, tacos, bolas, entre outros. Cada kit tem a capacidade de suprir até três quadras esportivas.

Vadinho, presidente da Fesporte esclarece: “Como o próprio nome sugere o Projeto Esporte Júnior é direcionado basicamente às crianças. As dimensões das quadras são menores, as redes e as cestas mais baixas, as raquetes são coloridas e de plástico estimulando assim o aspecto lúdico do jogo”. O projeto conta ainda com vídeo-aulas explicando os objetivos e o passo a passo para a montagem do projeto.

 Marcelo Kowalski, diretor de Esporte da Fesporte, complementa: “Nossa ideia com este projeto é despertar na criança o gosto pelo esporte. Depois, no segundo momento, teremos é a descoberta de novos talentos”.

 Informações adicionais

Antonio Prado

 (48) 9696-3045

 

 

Florianópolis - No dia 9 de março, o karateca catarinense Douglas Brose, sob o comando da técnica da Seleção Brasileira de karatê, Lucelia Ribeiro, ganhou medalha de ouro nos Jogos Olímpicos Sul-Americanos (Odesur), realizados em Santiago, capital do Chile. A conquista aconteceu na categoria kumite até 60 quilos, após vencer o atleta chileno Miguel Sofia por 5x2 na final. Nesta segunda-feira (17), de volta ao Brasil, o atleta esteve na sede da Fesporte, em Florianópolis, para agradecer ao presidente da entidade, Erivaldo Nunes Caetano Junior, o Vadinho, o apoio recebido do Governo de Santa Catarina, por meio da Fesporte e do Fundoesporte, para participar da competição.

A medalha de ouro classificou Douglas para os jogos Olímpicos Pan-Americanos 2015 que acontecerão em Toronto, no Canadá. “O apoio do Governo Estadual, por meio da Fesporte, foi muito importante para esta conquista. Foi este apoio que permitiu que eu me preparasse por 15 dias em janeiro na França”, agradeceu o campeão.

Para o presidente da Fesporte, são atletas como Douglas Brose que engrandecem o esporte catarinense. “Quando ele vem aqui e mostra a medalha de ouro que conquistou representando o Brasil e o Estado de Santa Catarina, é algo que nos deixa muito feliz”, concluiu o presidente da Fesporte.

Informações adicionais

Antonio Prado

(48) 9696- 3045

Florianópolis - Convênio assinado nesta quarta-feira (12) entre o governo do Estado, Fesporte e Associação das Federações Esportivas de Santa Catarina (Afesc) vai beneficiar com R$ 1,110 milhão 22 federações esportivas. O documento foi assinado pelo governador Raimundo Colombo, em solenidade realizada no auditório da Fesporte, em Florianópolis. O recurso servirá para custear competições e dar manutenção às federações conforme demanda de seus respectivos cadernos de encargos para eventos de esporte amador e de rendimento.

As federações, a partir do repasse oficial dos recursos efetuado pela Fesporte, terão 60 dias de prazo para realizar a prestação de contas. “A gente sabe que sem recursos as federações têm muitas dificuldades para cumprir suas propostas de trabalho. O custo operacional para o desenvolvimento do esporte é alto. Estes recursos permitirão agilidade na execução de seus programas esportivos”, reconheceu Raimundo Colombo. O governador acrescentou, ainda, que o governo está comprometido em atender a demanda das federações e disse ser necessária a apresentação de uma programação antecipada das entidades junto ao governo para que iniciativas lideradas pela Afesc possam se suceder nos próximos meses. “Estamos abertos para ajudar e atender as demandas”, assegurou.

O montante de R$ 1.110.000,00 será dividido entre as 22 federações esportivas. Vão receber entre R$ 80 e R$ 20 mil, dependendo do grau de representatividade no contesto esportivo catarinense. Para receber os recursos, as entidades terão que protocolar seus projetos junto à Fesporte, acompanhado de uma série de documentos, entre os quais cópia de seus estatutos e as Certidões Negativas de Débito (CND) expedidas por diferentes órgãos de controle fiscal. Estão habilitadas ao convênio as federações de Natação, Judô, Basquete, Ginástica, Taekwondo, Atletismo, Motociclismo, Triatlon, Tênis, Skate, Bocha e bolão, Hipismo, Ciclismo, Squash, Xadrez, Cegos e de baixa visão, Karatê, Bodybording, Pesca, Stand up e MMA.

“As federações são os braços da Fesporte e, por justiça, merecedoras destes recursos. Vai diminuir a insegurança. Vou ficar torcendo para que esta iniciativa tenha sucesso e que possamos, em breve, elaborar projetos de repasses, até mesmo mensais”, comentou o presidente da Fesporte Erivaldo Caetano Júnior, o Vadinho. Ele também informou que o projeto para a construção da nova sede das federações esportivas está pronto e somente aguardando para que seja licitado. “Deve ser executado durante a realização do pacto pelo esporte e não vou medir esforços para inaugurar esta obra enquanto gestor da Fesporte”, prometeu.

Frederico Leite, presidente da Afesc e que liderou o processo de consolidação do convênio, afirma que desde 2013 a Associação vem trabalhando para atender parte das aspirações das federações. “Houve um reconhecimento a quem faz o esporte em Santa Catarina. Temos que continuar trabalhando para que conquistas como esta tenham continuidade. Agora é partir para a segunda etapa de um novo convênio a ser firmado ainda este ano”, disse Fred, que também é presidente da Federação de Surfe.

O presidente da Federação Catarinense de Basquete (FCB), Oscar Archer, enalteceu a persistência da Afesc no processo ao afirmar que o convênio é fruto da união das federações. Para o dirigente, as federações precisam atuar permanentemente unidas. “As federações saem fortalecidas e, por consequência, a Afesc. Temos que trabalhar nas iniciativas como esta falando sempre a mesma língua. Assim vamos conquistar, como hoje, a sensibilidade e o reconhecimento ao nosso trabalho como demonstrado pelo governador”, comentou Oscar Archer. “O esporte precisava de uma luz como esta para se revitalizar. Este recurso chega num momento muito difícil para as federações. Vai produzir um incentivo para ampliar o desenvolvimento do esporte em nosso Estado”, afirmou o presidente da Federação de Motociclismo, Onílio Cidade Filho,o Kiko.

 

Florianópolis - Como acontece em todos os anos, a Fesporte, por meio da Diretoria de Esporte e da Gerência de Esporte de Rendimento (Geder), vem se reunindo desde o dia 24 de fevereiro com representantes das federações esportivas de Santa Catarina. Na pauta, assuntos referentes aos regulamentos técnicos, cadernos de encargos e resoluções dos eventos esportivos da Fesporte, como Jogos Abertos de Santa Carina, Olesc e Joguinhos Abertos.

Já passaram pela Fesporte os presidentes das federações de handebol, vôlei, vôlei de praia, taekwondo, natação e atletismo. Nesta quarta-feira (23), a reunião contou com a presença do presidente da Federação Catarinense de Judô, Silvio Acácio Borges. “Esse congraçamento é fundamental para que a Fesporte a as instituições esportivas falem a mesma linguagem quanto aos eventos. Essas ações conjuntas refletirão positivamente lá na frente, pois trazem boas perspectivas para a realização de um bom evento esportivo”, destaca Borges.

“Estes encontros já ocorrem há três anos e eles servem, além de discutirmos os assuntos referentes aos nossos eventos, para estreitar as relações entre Fesporte e federações, afinal elas são as nossas parceiras nos eventos”, enfatiza  Dárcio de Saules, da Geder, que destaca ainda que os encontros servem também para que os presidentes das federações saibam como o caderno de encargos está sendo cumprido pelos municípios sedes das competições esportivas. “Isso é importante porque a federação sabe o que o município está fazendo de infraestrutura para que determinada modalidade aconteça”, acrescenta Dárcio.

Para Marcelo Kowalski, diretor de Esporte da Fesporte, os encontros fortalecem a parceria entre Fesporte e Federações. “Nossa política aqui na Fesporte é o diálogo com os nossos parceiros, afinal o sucesso de um evento é o resultado de um trabalho conjunto entre nossa instituição e as federações”.

Informações adicionais

Antonio Prado

(48) 9696-3045

Na tarde desta terça-feira (25), o presidente da Fesporte, Erivaldo Nunes Caetano Junior, o Vadinho, recebeu em seu gabinete Paulo Ribeiro, presidente da Federação Catarinense de Muaythai Tradicional (FECAMTT). A visita foi um pedido oficial para que a modalidade faça parte da programação dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), já a partir deste ano. O encontro contou ainda com a presença do diretor financeiro da federação esportiva, Anoar Schimidt.

Vadinho disse que submeterá o pedido à Diretoria de Esporte da Fesporte e viu com bons olhos a possibilidade do muaythai tradicional fazer parte dos Jasc já a partir deste ano, como modalidade de apresentação. “Sou uma pessoa do esporte e tudo que vem para agregar valor aos Jogos Abertos de Santa Catarina é bem-vindo”, destacou Vadinho. Paulo Ribeiro e Anoar pediram também a Vadinho apoio da Fesporte na realização do 6º Campeonato Brasileiro de Muaythai Tradicional, que ocorrerá no período de 8 a 9 de novembro em local ainda a ser definido.

Sobre a possibilidade do muaythai tradicional fazer parte dos Jasc, Paulo Ribeiro disse que está bastante feliz com essa hipótese, já que a modalidade, segundo ele, é praticada por cerca de 5 mil pessoas em Santa Catarina. “Se isso ocorresse traria muitos beneficios à modalidade, possibilitaria nossa inserção na estrutura esportiva do Estado, assim como o karatê, judô e taekwondo, que já fazem parte dos Jasc. Hoje estamos limitados às academias e ao MMA e gostaríamos que outras pessoas também conhecessem o muaythai tradicional”.

O regulamento dos Jasc estabelece que uma modalidade entra de forma oficial na competição após três anos como modalidade de apresentação, período em que as conquistas do troféu de campeão não entram na pontuação da competição.

O Muaythai, também conhecido como Boxe Tailandês, é um esporte originado na Tailândia, com mais de 1000 anos de existência. O esporte teve muita popularidade, pois na época em que começou teve o apoio do rei da Tailândia, conhecido como Tigre, o mesmo foi um dos maiores lutadores da história da Tailândia, e por sua popularidade o treinamento também era ensinado nas escolas, além de ser obrigatórios para os soldados.

Já no Brasil o Muaythai chegou no ano de 1979. Em 1980, foi inaugurada a primeira associação e em 1981 foi disputado o primeiro campeonato entre o Rio de Janeiro e o Paraná. No combate há uso dos cotovelos, joelhos, golpes com a canela, punhos, chutes e também golpes giratórios. O lutador alia essas técnicas a uma disciplina física e mental.

 Informações adicionais

 

Antonio Prado

 

(48) 9696-3045

Florianópolis - O ano de 2014 será marcante para dois grandes eventos promovidos pela Fesporte: o Festival Escolar Dança Catarina, que completa 15 anos, e os Jogos Paradesportivos de Santa Catarina, os Parajasc, que farão 10 anos. A edição deste ano do Dança Catarina será a partir de julho, com as etapas microrregionais nos municípios participantes, enquanto que os Parajasc ocorrem de 25 a 31 de maio, em Chapecó.

Criado em 1999, o Dança Catarina teve como a primeira sede da etapa estadual o município de Florianópolis, no final de 1999, com os bailarinos se apresentando no Centro Integrado de Cultura (CIC). O festival começou em maio nos municípios com as fases microrregionais.

Em 1999, ainda com a denominação de Festival Escolar de Dança Mário de Andrade, o festival ainda não tinha o aspecto competitivo, como no formato atual. Atualmente, o Dança Catarina envolve cerca de 40 mil pessoas entre público, bailarinos, professores e organizadores. “Só de estudantes são cerca de 19 mil, na faixa etária de 7 a 17 anos de 400 escolas catarinenses”, enfatiza Mapi Cravo, organizadora do evento.

Em 2013, o festival esteve em 36 municípios congregando 32 etapas classificatórias microrregionais e quatro regionais (Sul, Oeste, Leste-Norte e Centro-Oeste). As disputas ocorreram nas modalidades de dança livre (subdivididas em contemporânea, moderna e danças urbanas), danças populares folclóricas, dança de salão e jazz.

Os vencedores de cada etapa regional, além de medalhas, conquistaram a possibilidade de se apresentar no Festival de Dança de Joinville. O Dança Catarina tem como objetivo a continuidade ao processo pedagógico vivenciado nas escolas, principalmente nas aulas de educação física, além de firmar a escola como centro esportivo, cultural e de lazer.

De volta ao início

Já os Parajasc tiveram início em agosto de 2005, tendo como o primeiro município sede a cidade de Chapecó, que volta a receber o evento agora, 10 anos depois. Contempla 1.800 atletas de 60 municípios com deficiências auditivas, física, intelectual, visual nas modalidades de atletismo, natação, tênis de mesa, xadrez, futsal, ciclismo, goalball, handebol em cadeira de rodas, natação, xadrez, basquete e bocha paralímpica.

Os Parajasc têm como finalidades favorecer o desenvolvimento global da pessoa com deficiência e sua integração na sociedade pela prática esportiva adequada às suas necessidades especiais.

Informações adicionais

Antonio Prado

(48) 9696-3045

Pagina 231 de 232