Publicado em Geral
Escrito por

Governo divulga portaria com regramento às corridas de rua

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) publicou nesta terça-feira, 15, uma portaria conjunta com a Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte) definindo critérios específicos para a realização de corridas de rua em Santa Catarina. A portaria 620 institui limites para a liberação de eventos do tipo corrida de rua realizados por entidades privadas ou públicas no estado, seguindo o cenário apontado pela Matriz de Risco Potencial Regional.

De acordo com o regulamento, nas regiões que se encontrem em nível Gravíssimo (Vermelho), será possível a realização do evento com no máximo 200 participantes no total. Nas regiões com risco Grave (Laranja), é permitido no máximo 300 participantes. Nos níveis Alto (Amarelo) e Moderado (Azul) são permitidas 600 e 1.000 participantes, respectivamente.

"A prática esportiva é fundamental para a saúde e acreditamos que com regramentos definidos é possível retomar as atividades com segurança. Com essa portaria, damos mais um passo nesse sentido", afirma o governador Carlos Moisés.

Os organizadores devem elaborar um plano operativo do evento, seguindo critérios expostos na matriz de avaliação de risco sanitário para corridas de rua. Os formulários e metodologias estão anexados à portaria.

>>> Confira a portaria 620 na íntegra

“A prática desportiva está ligada à qualidade de vida de nossa população. Essa portaria realizada de forma conjunta entre a SES e a Fesporte traz regramentos específicos para que organizadores e atletas possam retomar as atividades de forma segura”, afirma o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro.

“Nós sabemos da importância do esporte neste cenário de pandemia. O esporte gera saúde, desenvolvimento social e educação. O Estado mais uma vez é pioneiro na retomada das atividades com segurança sanitária para os catarinenses”, destaca o presidente da Fesporte, Kelvin Soares.

Nos municípios localizados em regiões que estejam nos níveis de risco gravíssimo e grave fica vedada a participação de menores de 18 anos, idosos acima de 60 anos, gestantes e pessoas com comorbidades ou deficiências permanentes. O participante ainda deverá assinar termo de responsabilidade em relação à conduta a ser adotada durante a realização do evento tais como: uso obrigatório de máscara, higiene de mãos, distanciamento social de no mínimo 2 metros entre os participantes e organizadores.

Publicado em Geral
Escrito por

Comendadores do esporte serão aclamados no sábado

O Conselho Estadual de Esportes (CED) de Santa Catarina marcou para o próximo sábado, 19, a tradicional cerimônia da Comenda do Mérito Desportivo. O evento será a partir das 10 horas no teatro municipal de Pomerode (Rua Henrique Veege, 111, Centro) em alusão ao ano de 2020, que fora adiado no ano passado por conta da pandemia da Covid-19.

A Comenda do Mérito Desportivo tem como objetivo homenagear brasileiros ou estrangeiros que tenham prestado relevantes serviços ao esporte catarinense. São cinco Comendas para pessoa física, uma in memoriam e duas pessoas jurídicas, - uma entidade esportiva e uma patrocinadora com mais de cinco anos de contribuição ao segmento. Este ano o método de escolha mudou, passando a ser em voto aberto, por decisão do Plenário do CED.

Os cinco novos Comendadores são: Maria Cristina Ferreira Santos, Ademar José da Silva, Vandelina Maria Tomasoni Ribeiro (Vandeca), Sônia Vera Kleine, João Almeida Camargo Neto; in memoriam – Paulo Celso Di Pilla Montibello; entidade esportiva – Federação Aquática de Santa Catarina; apoiadora/patrocinadora – Anjo Química.

Sexta-feira, 18, haverá reunião ordinária do CED às 18h.

Conheça os novos comendadores 

Ademar José da Silva, nascido em 22/05/1944 em Balneário Camboriú/SC

Foi atleta de futebol, futsal e futebol de areia por várias agremiações amadoras, destaque para a equipe de futsal de Balneário Camboriú nos anos 1972/1973/1974, Palmeiras Futebol Clube de Camboriú de 1960/1974, Associação Esportiva Floresta de Pomerode em 1966/1967, técnico do futsal de Balneário Camboriú. Como dirigente foi superintendente da Fundação Municipal de Esportes de Balneário Camboriú de 1997/2004, diretor de arbitragem e diretor técnico da Federação Catarinense de Futebol 1993 a 1996, conselheiro estadual de esporte no biênio 2009/2010. 

Atuou também na Fesporte nos cargos de gerente financeiro em 2010, gerente operacional em 2011, gerente de esporte de base e inclusão de 2012 a 2014, gerente de esporte de rendimento em 2017/maio 2018. Dinâmico e muito proativo, é um dos fundadores do Automóvel Clube de Balneário Camboriú, do Tubarões Esporte Clube, de Balneário Camboriú; da Liga Balneário de Futebol sendo seu 1º presidente e da Liga Balneário de Futsal atuando também como seu 1º presidente.

Indicado pelo conselheiro: Selvino Anderson Junior

 

João Almeida Camargo Neto, nascido em 17/01/1961 em Itapeva/SP

Profissional de educação física formado pela Universidade Regional de Blumenau (FURB), com especialização em educação física para o primeiro grau em 1983. Atuou por 38 anos nas redes de ensino municipal, estadual e particular de Blumenau, coordenador de educação Física e esportes do Colégio Sagrada Família, e como técnico de basquetebol nos últimos 36 anos. Também teve passagem marcante pelo Conselho Estadual de Esporte indicado pela Associação de Treinadores Esportivos, atuando de 2002 a 2004.

Na sua carreira como atleta da modalidade de basquetebol tem títulos de relevada importância, tais como: campeão juvenil brasileiro Interclubes pela S.E.Palmeiras,SP, (1979,  tri-campeão estadual pela S.E. Palmeiras (1977/78/79), campeão dos Jogos Abertos de Santa Catarina - Jasc (1982/84/88/89/90), campeão estadual pela FCB (1981/1984/1985/1989/1990). 

Como técnico também possui uma grande lista de competições importantes em que foi campeão tais como: estadual mirim masculino (1985), estadual infanto-juvenil masculino – (1988/1990), estadual juvenil masculino (1988/89/90/91/94/95/96/2000), estadual sub-22 masculino (1993/1994), estadual adulto masculino (1988/1999/2000), brasileiro 1ª divisão juvenil masculino (1997/1999), Jogos Escolares de Santa Catarina masculino (1988), Jasc masculino (1987/1991/2000), Jogos Regionais de São Paulo adulto masculino (1999), Joguinhos Abertos de Santa Catarina Feminino (2002), Estadual Juvenil Feminino Invicto  (2003/2004), Jasc adulto feminino  (2003 / 2004 / 2005 / 2009 / 2010 / 2011 / 2012 / 2013 / 2014 / 2015 / 2017 / 2018 / 2019), Regional dos Jogos Abertos do Interior de São Paulo - São José do Rio Preto (2004, Regional dos Jogos Abertos do Interior de São Paulo- Araras ( 2005), estadual adulto feminino (2005 / 2006 / 2010 / 2011 / 2012  /2013 / 2014 / 2015 / 2017 / 2018 / 2019), Jogos Universitários Brasileiros  (2007 / 2010 / 2011, JUC’S – 2007 / 2009 / 2010 / 2011 / 2012), Sul-Brasileiro (2009 / 2010 / 2011 / 2012 / 2014 / 2015 / 2017 / 2018 / 2019), Liga Universitária Brasileira (2010 / 2011 / 2012), Copa Santa Catarina adulto feminino (de 2010 a 2017), Taça FCB (2009 / 2010 / 2011 / 2012 / 2013 / 2014 / 2015 / 2017), técnico assistente da seleção brasileira na Universíade em Shenzhen, China (2011);, técnico da seleção brasileira na Universíade em Kazan,Russia/2013; técnico assistente da seleção brasileira adulto feminino – vice-campeão sul-americano – Tunja/Colômbia/2018, técnico assistente da seleção brasileira adulto feminino – campeão panamericano – Lima/Peru/2019, técnico da seleção brasileira sub-17 - vice-campeão – Barranquilla,Colômbia (2019); técnico assistente da seleção brasileira adulto feminino - 3º colocado – America Cup – San Juan, Porto Rico (2019); técnico assistente da seleção brasileira adulto feminino – vice-campeão qualifing para Olimpíadas de Tóquio – Baia Blanca, Argentina (2019); técnico assistente da seleção brasileira adulto feminino – qualifing para Olimpíadas de Tóquio – Bourges,França (2020).

Indicado pelo conselheiro: Darcio de Saules

 

Maria Cristina Ferreira Santos, nascida em 28/03/1969 em Anita Garibaldi/SC. 

Bacharel em educação física pela Universidade do Estado de Santa Catarina em 1996.

Maria Cristina, em 1996,  foi a primeira árbitra de remo do Brasil. Em 1998 foi  uma das fundadoras da Associação de Árbitros de Natação do Estado de Santa Catarina. Em, 1999 foi secretária do Presidente da FESPORTE e em 2000 primeira árbitra de remo do Brasil a trabalhar no Campeonato Sul-americano.

De 2003 a 2006 foi coordenadora de Santa Catarina para os Jogos da Juventude Italiana junto ao Comitê Olímpico Italiano, em que acompanhou atletas de 11 a 15 anos em competições na Itália, sendo 2003 e 2004 em Roma, 2005 a 2007 em Lignano Sabbiadoro. Já em 2003 Cristina foi nomeada para ser secretária da Comissão da Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc). Em 2004 assumiu o cargo de secretária do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) pelo qual desempenhou suas funções profissionais até os dias atuais.

No ano de 2005 entrou para a FINA (Federação Internacional de Natação) como árbitra, sendo a primeira mulher brasileira a fazer parte do quadro internacional de árbitros. No mesmo ano foi nomeada árbitra geral do Campeonato Mundial Júnior de Natação em Belo Horizonte, MG, e árbitra geral da Copa do Mundo de Natação -  a Fina Swimming Word Cup (2005/2006/2007); participou dos Jogos Pan-Americanos no Rio de Janeiro, Copa Latina de Natação em Belo Horizonte e Campeonato Sul Americano no Rio de Janeiro

Em Santa Catarina foi árbitra geral na seletiva de natação para as Olimpíadas de Pequim (2008), coordenadora dos Jogos Universitários Brasileiros, seletiva para Jogos Mundiais Universitários (2010),  árbitra geral de natação nos Jogos Mundiais do Trabalhador da Indústria realizados na cidade de Blumenau (2011), árbitra geral do Troféu Maria Lenk de Natação, seletiva para Olimpíadas de Londres (2016), participou da Olimpíada do Rio de Janeiro (2016), compondo a equipe de árbitros da Federação Internacional de Natação. Maria Cristina recebeu a Estrela de Bronze da Assembleia Legislativa de Santa Catarina como destaque esportivo padrão de excelência por seus trabalhos ao desporto catarinense (2017). Foi ainda a primeira 1ª mulher a ser membro da comissão de arbitragem da Confederação Brasileira De Desportos Aquáticos.

Em 2018 foi ganhadora do Troféu Guga Kuerten de Excelência no Esporte, na categoria “Melhor Árbitro”. Atualmente ministra cursos para formação e atualização de árbitros de natação no estado de Santa Catarina e no Brasil para atuarem nas competições promovidas pela  Federação Aquática de Santa Catarina (Fasc), Fesporte e Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos.  Maria Cristina é uma das referências em arbitragem de natação no Brasil, presidente da AANSC de 2002 até 2011 e de 2017 até 2020; árbitra geral de natação nas competições promovidas pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos, Fasc e FESPORTE.

Indicada pelo conselheiro: Enio Francisco Demoly Neto

 

Sônia Vera Kleine, nascida em 07/07/1957 em Blumenau/SC. 

Graduada em educação física pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (Furb) em 1978, pós-graduada em educação física escolar, Furb/1985, pós-graduada em gestão escolar, Furb/2002. De 1970 a 1980 foi atleta de alto rendimento nas modalidades de atletismo: 200 m rasos, 4x100 e 4x400, recordista estadual do 4x100 nos Jasc no município de Rio do Sul e na modalidade de handebol atuou como armadora, sempre defendendo o município de Blumenau e por diversas vezes o estado de Santa Catarina em eventos nacionais.

Responsável pela apuração técnica de vários eventos esportivos como a JECA etapa estadual (evento do Banco do Brasil), FENAB etapa regional (etapa classificatória nacional do Banco do Brasil), etapas microrregionais, regionais e estaduais (Jesc, Moleque Bom de Bola, OLesc, Joguinhos Abertos de Santa Catarina e Jasc, secretária executiva da CCO dos Jasc de 2004 e 2008 nos municípios de Indaial, Pomerode, Rio dos Cedros e Timbó, integrante da CCO dos JUBS – Blumenau/2007, secretária executiva da CCO do JUBS – Blumenau/2010. Desde 2005 responsável pelas inscrições da FMD de Blumenau nos eventos da FESPORETE, OLESC, Joguinhos Abertos e JASC.

Atuou também em várias instituições de ensino de Blumenau como a EEB Max Tavares D’Amaral, EEB Victor Hering, Colégio Sagrada Família, EBM Lauro Muller, EBM Professor Fernando Ostermann, 4ª UCRE, EEB Victor Hering, e como orientadora desportiva da 4ª UCRE. De fevereiro de 1998 a julho de 2007 foi Integradora desportiva da FESPORTE na 15ª Secretaria de Desenvolvimento Regional de Blumenau. Realizou um ótimo trabalho de integração do esporte na região. Abnegada, sempre orientava os professores e dirigentes esportivos com muita atenção. 

De fevereiro de 2005 a março de 2017 atuou como coordenadora de esporte de alto rendimento da Fundação Municipal de Desportos de Blumenau. Atualmente participa do grupo da Pró-Família de Blumenau com atividades para a terceira idade. 

Indicada pelo conselheiro: Ademir Schultz Junior

 

Vandelina Maria Tomasoni Ribeiro (Vandeca), nascida em 03/03/1962 em Nova Trento/SC. 

Participou de vários cursos de aperfeiçoamento da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) – Curso nacional de treinadores nível ll, Curso especial do CREF3/SC (provisionada), Universidade SESI DO ESPORTE, SA do Esporte da UNERJ, Meeting Sports/Fitness/Alto Rendimento, Universidade Nacional do Esporte/Cultura e Turismo – Moscou/Rússia/2011.

Em 1998 colocou em prática a execução de um sonho. Começava ali o projeto Voleibol Nova Trento. Com o propósito de oportunizar crianças e adolescentes o seu desenvolvimento como cidadãs, Vandeca foi em busca de parcerias para desenvolver na pequena cidade de Nova Trento um projeto de excelência, utilizando o voleibol na formação de atletas, revelar novos talentos para o voleibol catarinense e brasileiro.

Mentora e coordenadora do projeto, que em 2001 passou a se chamar Associação de Pais e Amigos do Esporte Neotrentino - APAEN, Vandeca adquiriu grande experiência na gestão e na formação das equipes de voleibol, em especial as de base em Nova Trento. Inovações, comprometimento e desafios, complementam seu perfil.

No mesmo ano a entidade oficializou a filiação junto à Federação Catarinense de Voleibol, começando assim sua participação nos campeonatos estaduais organizados pela entidade e competições organizadas pela Fundação Catarinense de Esportes (Fesporte) e pela Confederação Brasileira de Desporto Escolar – CBDE.

Com as conquistas e os resultados expressivos nas competições, com atletas se destacando e sendo convocadas para a seleção brasileira de base, o projeto foi ganhando visibilidade nacionalmente e assim chegaram a várias outras conquistas como o Troféu Gustavo Kuerten de Excelência no Esporte como melhor entidade esportiva do estado de Santa Catarina em 2015.  Em 2016 o projeto ganha o apoio dos padrinhos Bernardinho, Bruninho e Rosamaria.  Vandeca recebe título emérito da CBV. Rosamaria Montibeller, atleta formada no projeto, conquista os três títulos pela seleção brasileira adulta, e em 2017 a associação recebe o certificado de honra ao mérito do CED.

Dentre as inúmeras conquistas importantes que marcam a história de Vandeca e do projeto, estão: campeã de competições nas categorias mirim, infanto e infantil promovidas pela Federação Catarinense de Voleibol (FCV), dos Jogos Escolares de Santa Catarina (Jesc), Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc), dos Joguinhos Abertos de  Santa Catarina  e do Campeonato Brasileiro Escolar. Em 2005 ocorre a primeira viagem internacional do projeto para participar do 1º Torneo dell’ Amicizia Trentino-Brasile (Torneio da Amizade Trento-Brasil/Itália). Já em 2007 ocorre o vice-campeonato Sul-Americano escolar – La Serena/Chile.

Em 2008 o projeto é bicampeão brasileiro escolar – campeão sul americano escolar – Montevidéu/Uruguai. Em  2009, a atleta formada do projeto Eduarda Kraisch foi campeã mundial infanto juvenil com a seleção brasileira na Tailândia. Ainda em  2009, ocorre o primeiro titulo escolar brasileiro, seletiva que credenciou a equipe a representar o Brasil no Campeonato Mundial Escolar em 2010 na cidade de Baotou/China, onde conquista o bronze.

Indicada pela Conselheira: Michele de Souza

 

Paulo Celso Di Pilla Montibello (in memoriam), nascido em 24/08/1955 em São Paulo/SP. Falecido em 29/10/2018.

Profissional de educação física formado pela Universidade de Brasília em 1980, com especialização em fisiologia do exercício e participação em quase 30 cursos de atualização profissional, inclusive no Canadá. 

Foi professor de várias instituições de ensino em Brasília, no Rio de Janeiro e em Santa Catarina, do ensino básico ao universitário, tendo ministrado cadeiras de cursos em Lages (UNIPLAC - Basquetebol) e Florianópolis (UNIESC – Metodologia da Investigação Científica). 

É também autor de vários trabalhos científicos publicados na área da atividade física. Sua carreira no esporte se entrelaça com sua vida profissional. Mesmo antes da universidade, já demonstrava uma paixão enorme pelo basquetebol e foi exatamente nesse meio que construiu uma carreira brilhante. Foi técnico com uma história vitoriosa em vários clubes e instituições por onde teve a oportunidade trabalhar, tais como Brasília, Rio de Janeiro, Criciúma, Rio do Sul, Blumenau, Florianópolis e São José. 

Por sua reconhecida dedicação, tornou-se técnico de várias equipes e seleções estaduais desde os anos 70, tendo seu maior trabalho junto ao naipe feminino. Participou de várias competições estaduais e nacionais desde as categorias de base até a categoria adulta, como, os Campeonatos Brasileiros Infanto e Juvenil e também em Jogos Universitários. Em Santa Catarina teve participação marcante em diversas edições dos Jasc, Joguinhos Abertos de Santa Catarina, Jesc e Taças FCB (Federação Catarinense de Basquetebol). Foi campeão em várias das competições que participou, sendo as mais importantes: 1983 - campeão adulto masculino do Distrito Federal, 1986 - campeão juvenil feminino e campeão adulto feminino do estado do Rio de Janeiro, 1990 - campeão dos  Jasc – masculino, 1991 - campeão dos Jogos Abertos de SC – Feminino, 1993 - campeão mirim feminino do estado de Santa Catarina, 2002 - campeão juvenil feminino do estado de Santa Catarina, 2007 - campeão da Olesc– feminino. Na carreira são aproximadamente 65 títulos (sem contar uma infinidade de 2º e 3º lugares), o que demonstra a sua grande capacidade de instruir e liderar. 

Indicado pelo conselheiro: Darcio de Saules

 

Federação Aquática de Santa Catarina, foi fundada em 22/01/1978.

A Federação Aquática de Santa Catarina (Fasc) incentiva, promove e gerencia os esportes aquáticos (natação, maratonas aquáticas, pólo aquático, saltos ornamentais e nado sincronizado) em Santa Catarina. Atua promovendo as competições de alto rendimento, coordenando as seleções catarinenses da modalidade, mas também em parceria com a sociedade em fortes ações de inclusão na comunidade. Apóia instituições públicas ofertando local de treinamento para bombeiros e para as polícias e organiza o melhor parque aquático do Brasil, localizado na Unisul, Pedra Branca/Palhoça.

A natação catarinense, ao longo dos anos, revelou muitos atletas de alto rendimento entre eles Fernando Scherer, Eduardo Fischer, Daniel Orzechowski e Ana Giulia que conquistaram medalhas nacionais, pan-americanas, mundiais e olímpicas. Sobretudo é uma das federações que promove uma das melhores competições do calendário esportivo catarinense, o Circuito de Travessias reunindo grande público, famílias e amigos da natação.

Indicada pelo conselheiro: Alexandre Beck Monguilhott

 

Anjo Química, fundada em 10/03/1998. Localizada na Rua Quintino Rizzieri, nº 728 – Santa Bárbara/Criciúma

A Anjo Tintas lançou, no dia 19 de abril de 2001, o projeto Anjos do Futsal. Neste dia foi iniciada oficialmente a primeira fase deste grande sonho, que atualmente é uma realidade e que está trazendo resultados positivos. É um projeto que cresce ano a ano, com sustentação, em parceria com as prefeituras municipais. 

Além de ensinar a prática do futsal, o projeto Anjos do Futsal visa oferecer possibilidades de desenvolvimento de qualidades, formar cidadãos, afastar os garotos da violência e das drogas e oportunizar o surgimento de novos atletas para a modalidade do futsal. Desde a sua criação, o projeto já atendeu mais de 10.000 jovens e alguns deles jogam em equipes do exterior como Qatar, Itália, Espanha, Iraque, entre outras e também em times de destaque no Brasil, como por exemplo, Joinville e Jaraguá do Sul. Também já passaram quatro atletas pela Seleção Brasileira de Futsal e um atleta pela Seleção do Qatar.

Atualmente o Anjos do Futsal ultrapassa a marca de 1.200 adolescentes de 10 a 14 anos, divididos em 26 núcleos distribuídos em 21 municípios do sul de Santa Catarina como Balneário Arroio do Silva, Balneário Gaivota, Balneário Rincão, Cocal do Sul, Criciúma, Ermo, Forquilhinha, Içara, Jacinto Machado, Lauro Müller, Maracajá, Meleiro, Morro da Fumaça, Orleans, Praia Grande, Santa Rosa do Sul, São João do Sul, São Ludgero, Treviso, Turvo e Urussanga.

A metodologia de trabalho é muito bem organizada. A coordenação técnica do Anjos do Futsal é feita desde o início pelo mesmo profissional que é responsável pela padronização dos treinos de todos os núcleos. A metodologia de trabalho de cada núcleo visa, por meio da prática do futsal, que também é possível ensinar valores como, o trabalho em equipe, o respeito as pessoas, a concentração e a disciplina. 

O Projeto Anjos do Futsal vai além, e atualmente envolve 60 adolescentes que treinam para disputar competições regionais e estaduais, representando o município de Forquilhinha. O Projeto Anjos do Futsal já foi premiado pela ADVB com o título EMPRESA CIDADÃ; pela CNBB por intermédio da Pastoral da Criança como o Prêmio Ser Social e ganhou o Prêmio Ser Humano 2013 na categoria Projetos Socioambientais - pela Associação Brasileira de Recursos Humanos – ABRH/SC. 

Segundo os coordenadores do projeto, é o imensurável que motiva os líderes da empresa Anjo Tintas a continuar com o apoio, já que, pequenas e grandes transformações foram e continuam sendo proporcionadas em toda comunidade. 

O Anjos do Futsal é um projeto que continua dando frutos a cada ano que passa. Planejado e colocado em prática de forma programada, com objetivos bem definidos, com profissionais comprometidos, a Anjo Tintas, desde seu início, pensou em continuidade. A grande gratificação desse projeto é o que vai seguir para a vida toda, o aprendizado, a formação do caráter, do respeito, da dedicação e da disciplina.

Indicada pelo Conselheiro: Talis Giovani Fagundes

Texto com informações do CED

 

Publicado em Jesc15-17
Escrito por

Fesporte elabora cartilha sobre as inscrições aos JESC 2021

Os JESC, Jogos escolares de Santa Catarina, irão marcar a retomada do calendário de competições organizadas pela Fesporte. Estão programados para o início de setembro, sem presença de público e cumprindo todos os protocolos sanitários nesse momento de retomada das atividades esportivas no estado. O documento alerta para cuidados que serão tomados em relação a pandemia, além de trazer orientações aos participantes sobre inscrições para os jogos. Mais de 300 escolas de todo o estado já iniciaram o processo de inscrição para os JESC 2021.

Confira a cartilha:

Publicado em Geral
Escrito por

Projetos esportivos de sucesso em SC: atletismo Nova Veneza

E continuando com a série de reportagens sobre projetos esportivos de sucesso de Santa Catarina, a Fesporte aborda nesta quinta o atletismo de Nova Veneza

Com mais de 95% da população descendendo de italianos, Nova Veneza, a primeira colônia italiana oficialmente instalada no Brasil República (1891), é um pedaço da Itália em Santa Catarina. Situada Sul do Estado, e com pouco mais de 13 mil habitantes, um dos grandes sucessos entre seus atrativos é a Gôndola Lucille, doada pela Itália em 2006 após percorrer os canais de Veneza. A embarcação 100% artesanal, construída em um canteiro com mais de 700 anos de história, fica posicionada em um lago artificial no centro da cidade, na a Praça Humberto Bortoluzzi. 

Se a praça com a gôndola é um dos ícones no ramo cultural e turísticos, no setor esportivo o atletismo é uma das estrelas. O projeto começou em 1994 e atende gratuitamente cerca 20 atletas a partir de oito anos de idade,  que treinam de segunda a sábado uma média de três horas no complexo esportivo Antônio Amboni.

Revelando talentos

Coordenado por Roberto Carlos Bortolotto –  multicampeão dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), com 23 medalhas de ouro,  e campeão brasileiro, sul-americanos e ibero- americano dos 400m e um dos maiores atletas do atletismo de sua geração, nos anos 80 e 90, no salto triplo, salto distância, 200 e 400 metros rasos – o Projeto de Atletismo de Nova Veneza já revelou inúmeros campeões do atletismo catarinenses, muitos deles pelas competições dos Jogos Escolares Venezianos (Jevs), da prefeitura local.

“Por meio dos Jevs selecionamos os competidores que participarão da escolinha de atletismo. Desta escolinha saíram vários atletas medalhistas em campeonatos brasileiros, Olesc, Joguinhos e Jasc e até mesmo em competições internacionais. Saíram do nosso projeto atletas como Larissa da Silva Lúcio,  campeã Brasileira sub-18  e sub 20 em 2018 e 2021 na prova dos 800 metros, e medalhista  nos Jogos Escolares Mundiais da Juventude em 2018.

De acordo com reportagem do site da prefeitura de Nova Veneza, Larissa foi descoberta por Bortolotto aos 12 anos quando participava dos Jevs e teve que abdicar do Grupo Folclórico Ítalo Brasileiro, da cidade, em favor do atletismo. “Eu participava dessas competições de escola e de corridas rústicas apenas, quando chegou o Bortolotto e me selecionou para participar dos treinamentos. No começo eu não levava a sério, ia alguns dias e faltava bastante, quando a gente é criança só quer brincar”, comenta Larissa. 

Os campeões Larissa, Erick e Giovana com o treinador Roberto Bortolotto, à direita (Arquivo pessoal)

Na época em que começou a treinar, a atleta participava do Grupo Folclórico Ítalo Brasileiro, um dos grupos de dança mais conhecidos e respeitados de Santa Catarina. Até que o treinador Bortolotto falou que ela tinha um grande futuro no atletismo. “Eu gostava muito de dançar, não queria deixar o grupo, mas chegou um momento que o atletismo era muito mais importante, que poderia ser meu futuro, e que eu estava vendo que gostava mais também”, enfatiza a atleta.  

Principal destaque do atletismo de Nova Veneza hoje, com 18 anos, Larissa ressalta a importância que teve a insistência de Roberto em tê-la no DME. “O Roberto foi um cara que mudou boa parte da minha vida, por ter me chamado para esse projeto do atletismo. Ele é uma pessoa muito boa para mim e para todos os outros atletas aqui do núcleo. Realizei várias coisas, ele me fez voar no atletismo, só tenho a agradecer a ele por tudo que fez por mim e tem feito ao longo desses anos”, destaca a atleta. 

O ano de 2019 foi o melhor da sua carreira. Foram 20 medalhas conquistadas, além do principal objetivo daquele ano alcançado: o título brasileiro sub-18. A velocista  fez a melhor marca do Brasil nesta categoria em 2019 com  2min15s64 nos 800m chegando a liderar o ranking. Larissa ainda se tornou a única atleta de Santa Catarina a conquistar o tetracampeonato seguido na prova dos 800m rasos da Olesc. 

Para Bortolotto a atleta tomou a decisão correta ao escolher o atletismo. “Eu falei para a professora de dança dela que ela iria conseguir outra pessoa na dança, mas que eu não ia conseguir outra Larissa no atletismo. E está aí, ela se tornou uma referência no estado na sua categoria, uma atleta de alto nível, a Larissa é uma atleta nova e já é exemplo para muitos”, comenta Bortolotto.

 Larissa da Silva Lúcio,  campeã Brasileira sub-18  e sub 20 em 2018 e 2021 foi revelada no projeto de atletismo de Nova Veneza (Foto: Arquivo pessoal)

Além de Larissa já passaram pelas mãos do treinador, no projeto, Luciane Moreto, campeã mundial nos Jogos da Juventude Italiana, no salto em distância em 2005; Geovana da Silva, vice-campeã brasileira no salto triplo em 2020; Micaely Demo, campeã brasileira nos 75 metros, além de outros atletas como, Maycon Volpato, campeão brasileiro sub-18  e sub- 20  no salto em altura.

O treinador, que de 2006 a 2008 comandou a seleção brasileira de atletismo nas categorias sub-18, sub-20 e sub-23, revelou, entre outros, a olímpica Ana Claudia Lemos, recordista sul-americana dos 200m,  que participou das olimpíadas  de Pequim 2008 e Londres 2012 e hoje está entre as primeiras do ranking brasileiro e que recentemente disputou o Mundial de Revezamentos no atletismo na Polônia.

Roberto Carlos Bortolotto tem boas expectativas para o futuro já que acredita na filosofia do projeto de atletismo, que propõe  objetivos além do esporte do de rendimento. Segundo ele, aqueles que por ventura não tiveram êxito em sua vida esportiva dentro do projeto sairão melhores, pois o esporte contribui para a aprendizagem de cidadania. Mas se o foco é o rendimento o projeto também contempla este propósito.

Já que segundo o treinador o município respira esporte e já revelou muitos campeões. “Nova Veneza é uma cidade que se destaca na modalidade de atletismo. Temos vários recordistas. Eu sou um dos recordistas, a Larissa tem recorde estadual, a Mikaeli é recordista estadual, a Katia na época foi recordista. Então Nova Veneza é privilegiada por grandes talentos no atletismo. E hoje continuamos esta história com apoio da prefeitura de Nova Veneza”.

Texto: Antonio Prado

Ascom Fesporte

 

 

Publicado em Jesc12-14
Escrito por

Fesporte faz visita técnica para os Jogos Escolares de SC

A equipe técnica da Fesporte, representando o Governo do Estado de Santa Catarina, realizou na terça, 8, vistoria técnica nas cidades de Timbó e Indaial, necessárias para a realização das competições de 2021. Inicialmente, os Jogos Escolares de Santa Catarina (Jesc) 12 a 14 anos que acontecem em agosto.

Participaram da vistoria, a gerente de esporte de base e inclusão Josélia Teixeira, o gerente de  esporte de rendimento Luciano Heck e o gerente de esportes de participação Luiz Henrique de Bitencourt.

Foram vistoriadas as instalações de Timbó, com destaque para a pista de atletismo, o espaço destinado ao tênis de mesa e os ginásios. Em Indaial foram vistoriadas as instalações da Fundação Municipal de Esportes que poderão receber parte da estrutura dos jogos. Especialmente a piscina semi-olímpica, que é referência na região e irá receber as competições de natação.

Estruturas esportivas foram vistoriadas em Indaial e Timbó (Foto: André Lino)

Também foram tratados assuntos relacionados à segurança sanitária para a realização dos jogos. Testes para Covid e hospedagem segura entre outros protocolos, estão sendo programados para esta edição dos Jogos Escolares.

A equipe da Fesporte foi recebida em Timbó pelo presidente da  Fundação Municipal de Esporte (FME) de Timbó, Márcio Elísio, juntamente com a sua equipe. Em Indaial, o encontro foi com o presidente municipal, Ademir Paker. A agenda também foi dedicada a uma visita a Coordenadoria Regional de Educação para tratar dos jogos escolares. Renato Liberato Dallabona, coordenador regional de educação, recebeu a equipe da Fesporte, juntamente com o Professor Cristiano Largura servidor da  Regional.

Publicado em Geral
Escrito por

Georreferenciamento esportivo de SC será atualizado

A Fesporte realiza a partir do mês de junho o Processo de Retomada do Projeto de Georreferenciamento Esportivo de Santa Catarina. O Projeto precisa ser finalizado e a ajuda dos municípios através de seus Gestores Esportivos Municipais será muito importante. Até o momento contamos com o cadastro parcial dos municípios, necessitando assim da conclusão do preenchimento dos dados através dos links de acesso para o complemento dessas informações.

Para os gestores esportivos que assumiram seus respectivos orgãos nesse ano de 2021, esse cadastramento do georreferenciamento é fundamental para que o Governo de Santa Catarina possa conhecer a realidade local e implantar políticas públicas no setor esportivo do município. 

Todos os formulários podem ser acessados no site oficial da Fesporte (Clique aqui para acessar e preencher os formulários).

Essa nova rodada de divulgação para cadastramento de Instalações Esportivas no Projeto de Inventariação em Santa Catarina – o Georrefenciamento Esportivo, teve seu lançamento no início de 2020 pela Fesporte, e já conta com mais de 4 mil instalações esportivas cadastradas no sistema.

Esta ação, pioneira no país, permitirá mapear todos os locais de competições esportivas de Santa Catarina e obter um panorama das condições das instalações, facilitando o planejamento de eventos em cidades catarinenses e implantação de políticas públicas do setor.

As informações coletadas por intermédio dos formulários são georreferenciadas no mapa digital, que ficará disponível ao público pelo Google Maps. (Clique aqui e entre no manual de pesquisa das instalações cadastradas).

Publicado em Geral
Escrito por

Projetos de Sucesso em SC: Bolão 23 de Rio do Sul

O bolão 23 masculino do Clube de Caça e Tiro Dias Velho, de Rio do Sul, é o destaque desta quinta-feira, da série de reportagens da Fesporte intitulada de “Projetos Esportivos de Sucesso em Santa Catarina”. Confira a matéria

Localizado no Alto Vale do Itajaí, o município de Rio do Sul é carinhosamente conhecido como a capital nacional do bolão. A maior festa da cidade, a Kegelfest – traduzida do alemão  “Festa Nacional do Bolão” não deixa dúvida quanto ao amor da sociedade local por este esporte que chegou ao Brasil com a imigração alemã de 1806 a 1871. Inicialmente em Nova Friburgo, São Leopoldo, Rio Negro (Paraná), Mafra, Pernambuco, Petrópolis. Entre 1850 e 1859 em Blumenau, Joinville e Brusque. 

Atualmente, em Rio do Sul, o esporte é praticado em cinco entidades: Sociedade de Atiradores Bela Aliança, Sociedade Desportiva e Recreativa 25 de Julho, Associação Desportiva Duque de Caxias, Sociedade Esportiva e Recreativa Albertinense e no Clube de Caça e Tiro Dias Velho.

O projeto de bolão do Dias Velho, por meio da Fundação Municipal de Desportos,  representa Rio do Sul desde 2007 em competições como os Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), campeonato estadual e Brasileiro. Para isso conta em seus quadros 17 atletas, entre eles dois grandes nomes da modalidade: Armelindo Sclupp, 62 anos, considerado o Pelé do bolão catarinense, e Cláudio da Silva, o Juninho, 18, uma das grandes revelações da modalidade nos últimos anos.

Junções como essa – experiência e juventude – são responsáveis por um projeto de sucesso que já tem em sua história, mais de 10 títulos importantes nos últimos anos, entre os quais, o de campeão brasileiro de 2016 em Curitiba, PR ao derrotar de virada os donos da casa por um ponto de diferença, titulo que entrou para a história de Rio do Sul e proporcionou uma carreata pela cidade com os heróis campeões.

Projeto tem inúmeros títulos e une atletas e família em torno do esporte que identifica a tradição de Rio do Sul (Arquivo pessoal)

Armelindo Schlup, que fez parte da equipe, tem no currículo nove títulos em campeonatos estaduais, três em campeonatos brasileiros e quatro medalhas de ouro nos Jogos Abertos de Santa Catarina. Acumula 65 braços de ouro em diversas competições –  prêmio para melhor atleta, além de ter sido técnico da Seleção Catarinense de Bolão. Os títulos pelo brasileiro foram conquistados defendendo as cores dos clubes Armada, de Rio do Sul; Adeblu, de Blumenau; e pelo Caramuru, de Chapecó. “Em primeiro lugar está a família, depois vem o bolão na minha vida”, revelou o atleta ao conquistar o titulo de campeão dos Jasc em 2012 e tirar Rio do Sul de uma fila de espera que já durava 16 anos.

Para Técnico Dirk Frank Klug, 52 anos, que coordena o projeto do Bolão 23 do Clube de Caça e Tiro Dias Velho, a modalidade tem uma importância singular na sociedade riosulense, pois representa as tradições alemãs dos primeiros imigrantes do município. “O bolão representa a nossa cultura, nossos antepassados: o avô, tataravô, enfim, é um esporte que faz amigos, que une famílias e representa toda uma identidade cultural de um município”.

Dirk enfatiza que as competições que congregam as cinco entidades da modalidade são coordenadas pela Liga Riosulense de Bolão e Bocha. “Estima-se que 300 famílias participam diretamente das atividades da modalidade em nossa região, totalizando em torno de 450 adeptos ao esporte que representam os clubes em competições regionais, estaduais e também a nível de Brasil”. Ele esclarece ainda que o tradicional Campeonato Regional de Clubes acontece anualmente e as equipes melhores colocadas são classificadas para as disputas dos campeonatos estaduais série ouro, prata e bronze.

Armelindo Schlup é considerado por muitos o Pelé do bolão catarinense (Foto: arquivo pessoal)

 

História do bolão

Segundo o site da Federação Catarinense de Bocha e Bolão (FCBB) o bolão é uma das modalidades esportivas mais antigas em disputa. Consta que a primeira descrição clara do jogo de bolão encontra-se no "Renner", de Hugo Von Trimberg, Reitor em Bamberg, Alemanha, entre 1260 e 1309. Pelo início do século XVI, Murner escreveu a poesia alegórica intitulada "O Jogo do Bolão da Dissidência da Fé", 1522. Desse título pode-se deduzir que o jogo de Bolão era, na época, bastante difundido. Bem cedo, o jogo de bolão devia ter se espalhado da Alemanha para a França, os Países Baixos e para a Inglaterra.

No Brasil, ele veio com a imigração alemã de 1806 a 1871, inicialmente em Nova Friburgo, São Leopoldo, Rio Negro (Paraná), Mafra, Pernambuco, Petrópolis. Entre 1850 e 1859 em Blumenau, Joinville e Brusque.

Nos Jogos Abertos de Santa Catarina, o bolão foi introduzido já na sua primeira edição em 1960 na cidade de Brusque. Até o ano de 1974 ele foi disputado com bolas de madeira de diâmetro de 23 cm. A partir daquele ano, deu-se também as disputas com a bola de fibra com 16 cm de diâmetro.

A modalidade começou a ganhar força e adeptos em Santa Catarina por meio de um trabalho realizado pela Federação Catarinense de Bocha e Bolão, que formou um grupo de atletas e viajou pelo estado divulgando e instruindo os demais clubes, introduzindo assim o bolão em todas as regiões.

Características

O bolão é um esporte que se enquadra perfeitamente nas demais modalidades esportivas salutares e de real proveito para a saúde do povo. Baseia-se ainda, nos preceitos da camaradagem, dignidade e cavalheirismo. O esporte de bolão exige a movimentação de toda a musculatura, de todas as articulações; tonifica o coração, os pulmões e o sistema nervoso, e contribui ao mesmo tempo para que o praticante desta modalidade esportiva exercite o domínio da vontade dos sentidos em proveito da perfeita educação, de um caráter equilibrado, reto e jovial.

Principais conquistas do Bolão do Clube de Caça e Tiro Dias Velho

2012 - Campeão Estadual Ouro em Rio do Sul

           Campeão JASC em Caçador

2013 - 4° Lugar Brasileiro de Clubes em Guarapuava - PR

           Campeão 1° Copa Azulões em Blumenau

           Vice - Campeão Estadual Ouro em Indaia

           Campeão dos Jasc em Blumenau

2014 - Campeão Taça Santa Catarina em Rio do Sul

           Bicampeão da 2ª Copa Azulões em Blumenau                 

2015 - Tricampeão 3ª Copa Azulões em Blumenau

              Campeão 1ª Copa Dias Velho em Rio do Sul

2016 -  Campeão Brasileiro de Clube, Cutiba, PR 

            Tetrampeão 4ª Copa Azulões em Blumenau           

2017 - Campeão Copa Rio Negrinho - Rio Negrinho 

            Pentacampeão da 5ª Copa Azulões – Blumenau

            Campeão JIMAVI

2018 – Campeão Copa Praianos do Bolão – Itajaí

Campeão JIMAVI

2019 – Campeão Copa Praianos do Bolão – Itajaí

Texto: Antonio Prado 

Ascom Fesporte

Se você tem um projeto de sucesso e quer ver neste espaço entre em contato com  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Publicado em Parajasc
Escrito por

As inscrições para os Parajasc irão começar dia 7 de junho

As inscrições para a edição 2021 dos Jogos Abertos Paradesportivos de Santa Catarina (Parajasc) irão abrir na próxima segunda-feira, dia 7 de junho.

Saiba os prazos e como realizar a inscrição: 

Prazo Inicial: 7 de junho

Prazo Final: 12 de agosto

Link para inscrição dos PARAJASC: clique aqui 

Informações: (48) 3665-6155

Gerência de Esporte de Rendimento: E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

Pagina 1 de 445