Quinta, 23 Maio 2019 17:48

Helen "Chiquinha" Rocha: a mensageira dos sorrisos Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(1 Voto)
Helen entrega aos participantes dos Jasti mensagens e sorrisos Helen entrega aos participantes dos Jasti mensagens e sorrisos Foto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Manhã desta quinta-feira (23), integrantes da equipe de organização da Fesporte nos Jasti preparava-se para deixar o alojamento, no bairro Coloninha, para ir à Comissão Central Organizadora (CCO), quando passava uma garotinha fantasiada de Chiquinha, conhecida personagem da série infantil “Chaves”, de Roberto Bolaños. “Oi, Chiquinha!”, cumprimentou a equipe admirada com sua presença, ao que ela respondeu com um sorriso largo.

Mal se podia esperar que estivesse passando aquela que seria uma importante personagem do dia nos Jogos Abertos da Terceira Idade (Jasti) em Gaspar. Depois de a equipe de imprensa fazer cobertura das competições de canastra e dominó, voltou ao bairro Coloninha, na Escola de Educação Básica Ivo de Aquino, para cobrir o voleibol. E lá estava ela de novo: a “Chiquinha”. Tratava-se de Helen Rocha, menina de 12 anos, que, ao saber da presença dos participantes dos Jasti na sua comunidade, resolveu se fantasiar da famosa personagem, cuja roupa tinha em sua casa, e homenagear os idosos ressaltando a importância deles com entrega de pequenos papeis com mensagens singelas.

Até o momento, havia entregado cerca de 50 mensagens, como “Jesus te ama”, “A idade da juventude” e “Vocês são importantes para a sociedade”. Equipes de dança de Florianópolis e de voleibol de Balneário Camboriú, Brusque e de Treze Tílias foram algumas das que receberam a ação da pequena notável.

Estudante do sétimo ano da Escola Ivo de Aquino, onde a mãe, Cleonice Rocha, trabalha como faxineira, Helen, aos 12 anos, transborda carisma e maturidade ao falar de sua vida. “Só quero dar sorrisos a eles [os idosos]. Isso já me faz feliz”, disse a jovem, natural de Campos Novos, residente em Gaspar desde os dois anos de idade.

Helen prepara mensagens em papeizinhos coloridos   Foto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

“Ela é tudo de bom, um orgulho para nós. No mundo de hoje, com tantas dificuldades, consideramos um presente divino termos Helen num ambiente familiar com muito diálogo e amor”, destacou a mãe Cleonice, uma das maiores incentivadoras, ao lado do pai Eroni Rocha.

                              Veja o vídeo da Helen em ação

Sobre seu futuro, Helen acha que ainda tem muito tempo para pensar e decidir. “Quando a gente é criança,sonha sempre ser algo, mas ainda não me decidi. Gosto de cantar, mas é importante conhecer mais coisas para tomar decisão”. Antes ainda de a equipe de comunicação da Fesporte acompanhar a entrega de mensagens aos atletas da terceira idade, Helen explicou: “Faço isso porque não era para eu estar aqui. Tive um tumor no pâncreas há dois ou três anos. Fiquei cinco horas e meia numa cirurgia, uma semana na UTI e mais um tempo no quarto, até ficar curada. Hoje quero ver as pessoas felizes".

Depois disso, a menina foi fazer o que gosta: levar mensagens e sorrisos, abraçar forte muita gente e transbordar o ambiente dos Jasti de emoção.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Lido 644 vezes Última modificação em Sábado, 25 Maio 2019 13:06

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.