Terça, 04 Dezembro 2018 21:15

O papel da Olesc no crescimento do tênis de mesa Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(1 Voto)
Criciúma (uniforme vermelho) fez duelo com Maravilha nesta terça-feira Criciúma (uniforme vermelho) fez duelo com Maravilha nesta terça-feira Heron Queiroz

Edenilson Leandro/ Especial para a Fesporte

O ginásio Sérgio Peters, no Centro de Indaial, vive a movimentação do tênis de mesa da Olesc 2018. Nesta terça-feira (4) prosseguiram as disputas entre as mais de 40 equipes inscritas no masculino e no feminino. Nas cinco mesas montadas na quadra do ginásio, desfilavam atletas com maior ou menor experiência em competições. Fora da área de jogos, gente mais tarimbada repassando orientações a seus jogadores em busca da melhor performance e rendimento.

Um destes é o técnico de Criciúma, Alexandre Ghizi, de 39 anos, 18 deles na função de revelar e comandar atletas e cuja experiência e conhecimentos são utilizados por vezes a serviço da seleção paralímpica. Ele destaca a importância da Olesc para fortalecer o rendimento dos jovens mesa-tenistas. "Por mais jovem que seja, o atleta gosta de competição. Em Criciúma, nosso projeto tem um evento por mês com este objetivo de colocar o grupo para efetivamente jogar", diz Alexandre.

Em Criciúma, o tênis de mesa se alicerça na parceria entre o clube Mampituba (que tem o patrocínio do Comitê Brasileiro de Clubes - CBC), a Fundação Municipal de Esporte e escolas. Da captação de talentos até a participação em competições, são três estágios que se consolidam na participação de eventos como a Olesc 2018.

A Olesc 2018 é uma promoção do governo de Santa Catarina, por intermédio da Fesporte, em parceria com as prefeituras de Timbó e Indaial. Para acessar os resultados do dia e conferir os boletins informativos da Olesc, clique aqui.

Lido 140 vezes Última modificação em Terça, 04 Dezembro 2018 21:27

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.