Terça, 21 Julho 2020 17:33

Vamos relembrar a bocha paralímpica nos Parajasc 2017 Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)
Detalhe da disputa da bocha paralímpica em 2017 em Criciúma Detalhe da disputa da bocha paralímpica em 2017 em Criciúma Foto: Divulgação Fesporte

Hoje é dia de relembrar os melhores momentos do segundo dia da bocha paralímpica nos Parajasc 2017, realizados em dezembro de 2017 em Criciúma. Os atletas deram um show de esportividade, determinação e superação.

Praticada por atletas com elevado grau de paralisia cerebral ou deficiências severas, a bocha paralímpica só apareceu no Brasil na década de 1970. A competição consiste em lançar as bolas coloridas o mais perto possível de uma branca (jack ou bolim). 

Os atletas ficam sentados em cadeiras de rodas e limitados a um espaço demarcado para fazer os arremessos. É permitido usar as mãos, os pés e instrumentos de auxílio, e contar com ajudantes (calheiros), no caso dos atletas com maior comprometimento dos membros.

Em 2017  município de Joinville conquistou o título de campeão geral dos Parajasc com  42 pontos, enquanto que o vice-campeão foi Chapecó, que somou 19 pontos. Itajaí terminou na terceira colocação com 16 pontos.

Nos segmentos Deficiência Intelectual e Deficiência Visual, Joinville conquistou o título geral e, além disso, ficou na segunda colocação na Deficiência Auditiva e Física.

Ao todo, de 1º até o dia 6 de dezembro, foram 1.700 atletas de 52 municípios, em Criciúma, na disputa de 12 modalidades - atletismo, basquetebol, basquetebol em cadeira de rodas, bocha, bocha paralímpica, ciclismo, futsal, golbol, handebol em cadeira de rodas, natação, tênis de mesa e xadrez, nos segmentos de deficiência física, auditiva, intelectual e visual.

 

Lido 122 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.