Domingo, 27 Outubro 2019 12:35

Tema anti-homofóbico leva Lauro Müller a título Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(1 Voto)
Escola Emília Mamede Soares, de Lauro Müller, venceu na categoria infantil livre, com a coreografia "Não Recomendado", de Davi Cunha Escola Emília Mamede Soares, de Lauro Müller, venceu na categoria infantil livre, com a coreografia "Não Recomendado", de Davi Cunha Foto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

A segunda noite do Festival Escolar Dança Catarina na região Sul deu o título aos donos da casa. O grupo de dança da Escola Emília Mamede Soares, de Lauro Müller, conquistou o título na categoria infantil livre com a obra “Não Recomendado”. Usando a música homônima, de autoria de Caio Prado, a coreografia, de Davi Cunha, traz à tona um tema bastante atual: a homofobia. Ousada e questionadora, todavia de bom nível técnico, a apresentação da equipe lauro-milense arrancou aplausos dos presentes e dos concorrentes.

O Colégio Recriarte, de Camboriú, ficou em segundo lugar, com mais uma bela apresentação. Com uma concepção mais intimista, a coreógrafa Roberta Guimarães abordou o universo feminino, com a obra “Múltiplas Faces”. Já a Escola Professora Maria da Glória Silva, de Içara, terceira colocada, usou a música “Maria da Vila Matilde”, de Elza Soares, para retratar a violência contra a mulher, com a coreografia “Um Oito Zero”, de Walter Gobbo.

Os destaques na categoria infantil livre ficaram com Maria Luíza Martins (bailarina), da Escolar Recriarte; Bruno Tomé (bailarino), da Escola Professor André de Souza, de Imbituba; Escola Professora Maria da Glória Silva (grupo), de Içara; e Davi Cunha (coreógrafo), da Escola Emília Mamede Soares, de Lauro Müller.

A categoria juvenil popular teve inscrição única e apresentou a coreografia “Mistifório do Oriente”, de Tuanny Rafaela dos Santos, do Centro Educacional Marista São José, de São José. Além do troféu de primeiro lugar, também recebeu destaque para o grupo, para a coreógrafa e para os bailarinos Maria Vitória Furtado dos Santos e Matheus Teixeira Nascimento.

Na dança de salão juvenil, o troféu de campeão foi para a dupla Ana Laura Fontoura e Jorge Luiz Pacheco Júnior, da Escola Prefeito Luiz Carlos Luiz, de Garopaba. Para uma noite com ousadias, contestações e inovações, essa categoria também deixou sua marca: uma dupla com duas bailarinas, Sophia Martinez e Iohanna Dietrich, do Colégio Recriarte, ficou em segundo lugar. E o terceiro lugar foi ocupado por Gabriel Joaquim de Almeida e Noêmia Joana de Souza, da Escola Professora Maria da Glória Silva, de Içara.

O Dança Catarina fecha a etapa regional em Presidente Getúlio, nos dia 22 e 23 de novembro. Mas a edição 2019 não para por aí. O maior evento de dança escolar do mundo tem algo a mais reservado para a comemoração de seus 20 anos: a Noite de Gala, que acontece no dia 4 de dezembro. O Festival Escolar Dança Catarina é uma promoção do Governo do Estado – @governosc –, realizado por intermédio da Fesporte.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Lido 3097 vezes Última modificação em Domingo, 27 Outubro 2019 12:49

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.