Sexta, 17 Julho 2020 16:29

Vanderlei Cordeiro de Lima fala sobre o esporte de SC Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)
Vanderlei Cordeiro entrou para a história do esporte mundial Vanderlei Cordeiro entrou para a história do esporte mundial Foto: COB

Neste vídeo durante os Jogos Escolares da Juventude para estudantes de 15 a 17 anos em novembro de 2015 em João Pessoa, na Paraíba, o medalhista olímpico Vanderlei Cordeiro de Lima diz o que pensa sobre o esporte escolar de Santa Catarina. Vaderlei é bicampeão da maratona dos Jogos Pan-Americanos (Ouro em Santo Domingo 2003 e Winnipeg 1999), bronze nas Olimpíadas de Atenas, 2004, e  o único latino-americano outorgado com a Medalha Pierre de Coubertin, a maior condecoração de cunho humanitário-esportivo concedida pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

V

Nas olimpíadas de Atenas, em 2004, na altura do km 35, a pouco mais de sete quilômetros da chegada no estádio Panathinaiko, quando ainda tinha cerca de 25 a 30s de diferença – cerca de 150 m – sobre os demais corredores e a medalha de ouro parecia eventualmente ganha, Vanderlei foi atacado no meio da rua por um espectador, o ex-padre irlandês Cornelius Horan, que o jogou fora da pista.

 Ajudado por um espectador grego, Polyvios Kossivas, a se desvencilhar do agressor, voltou à prova ainda na liderança, mantendo ainda a metade da vantagem que tinha. Entretanto, o inesperado e o susto da agressão sofrida tiraram a concentração do atleta que não conseguiu manter o mesmo ritmo em que corria, sendo ultrapassado nos quilômetros finais pelo italiano Baldini e pelo norte-americano Meb Keflezighi, mas mesmo assim conseguindo ficar com a medalha de bronze, apenas 15s na frente do quarto colocado, Jon Brown, da Grã-Bretanha.

A maratona olímpica de Atenas tinha entre seus competidores alguns dos maiores nomes da história desta prova, além de Tergat, então recordista mundial. Também participavam dela Erick Wainaina, bronze em Atlanta 1996 e prata em Sydney 2000 na mesma prova, o sul-coreano Lee Bong-Ju, prata em Atlanta 1996 e o campeão europeu Stefano Baldini, da Itália. Mesmo com esta concorrência, a partir de pouco antes da metade do percurso Vanderlei abriu do pelotão e correu sozinho, liderando a disputa por mais de uma hora e abrindo cada vez mais vantagem sobre os demais corredores.

Durante o encerramento dos Jogos, foi anunciado que por seu feito, seu espírito esportivo em continuar na disputa mesmo sendo atacado e a humildade demonstrada após a prova, Vanderlei seria agraciado com a Medalha Pierre de Coubertin, concedida pelo COI para a atletas que valorizam a competição olímpica mais do que a vitória e que é considerada uma honra elevadíssima atribuída pela entidade. Ela lhe foi entregue no Rio de Janeiro, em 7 de dezembro de 2004, numa cerimônia oficial em sua homenagem com a presença de seu benfeitor grego, Polyvios Kossivas. Na mesma cerimônia, ele também foi escolhido como "Atleta Brasileiro do Ano de 2004".

 

 

Lido 105 vezes Última modificação em Sexta, 17 Julho 2020 16:48

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.