Segunda, 20 Julho 2020 21:32

Godinho prevê realização de eventos em outubro Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)
Microrregionais podem acontecer em agosto, regionais em setembro e estaduais em outubro, estendendo-se até dezembro (foto da ocasião da abertura dos Joguinhos Abertos 2019 - Curitibanos) Microrregionais podem acontecer em agosto, regionais em setembro e estaduais em outubro, estendendo-se até dezembro (foto da ocasião da abertura dos Joguinhos Abertos 2019 - Curitibanos) Foto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

O presidente da Fesporte, Rui Godinho da Mota, anunciou, na última quinta-feira (16), a projeção de realizar cinco dos grandes eventos promovidos pela instituição. Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), Joguinhos Abertos, Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc), Moleque Bom de Bola e Noite de Gala do Festival Escolar Dança Catarina são os eventos previstos no calendário alternativo para 2020, diante da crise sanitária gerada pela pandemia de covid-19.

“Grande parte das disputas são escolares, por isso, elas também são prejudicadas pelo não retorno das aulas em Santa Catarina. E como já passamos da metade do ano, não teríamos mais condições de fazer todas as suas etapas. Então, encaminhamos ao Conselho Estadual de Esporte a possibilidade de disputa de cinco dos grandes eventos. Possivelmente, vamos abrir as inscrições a partir do mês de agosto, para a realização das fases microrregionais e regionais em setembro e, a partir de outubro, as etapas estaduais”, explicou o gestor. Em relação aos Jasc, Joguinhos e Olesc, por serem poliesportivos, a ideia é realizá-los por modalidade, estendendo-se de outubro a dezembro. 

O presidente observa que levará algum tempo ainda até o enfraquecimento da pandemia, por isso não seria prudente fazer as competições estaduais antes de outubro. “Temos que ser cuidadosos, para que não sejamos displicentes com as pessoas que não tiveram os devidos cuidados. Queremos, sim, que o esporte catarinense continue, queremos manter todos em atividade e vamos lutar para fazer esses eventos, nem que tenhamos que comprar testes para os atletas. A ideia é realizá-los em locais que consigamos controlar a questão do alojamento, alimentação e deslocamento, para que não tenha dispersão de pessoas, e que as competições durem o menor tempo possível”, disse Godinho, destacando que tudo depende ainda do Governo.

Rui lembra ainda que em decorrência da pandemia, não estão sendo feitos e repasses, o que implica em mudança de formato da Fesporte neste ano. Além disso, já existem solicitações para que cidades possam voltar a ser sede em 2021, considerando a ausência de público nas competições. “Por conta desse cenário, também iremos viabilizar as transmissões ao vivo para o público e tentar ajustar o horário dos jogos a períodos em que todos possam acompanhar esses eventos. Nosso objetivo é trazer as pessoas para mais perto do esporte e manter essa chama acesa”, completou.

O presidente salienta que, desde o primeiro decreto, no dia 18 de março, a Fesporte vem estudando calendário e mudanças na formatação de competições e na estrutura de eventos para tentar realizar o que for possível neste ano, diminuindo ao máximo o prejuízo para o esporte catarinense. Em maio, foi então apresentado ao governador Carlos Moisés três propostas de calendário, considerando possibilidade de retorno em julho, outro em agosto, e o terceiro em setembro. 

A Fesporte contou com a colaboração de federações e outras instituições esportivas para a elaboração dos calendários. O prazo ainda está dentro das previsões da Fesporte, e Rui Godinho vê com bastante otimismo a volta dos eventos da Fesporte.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Lido 469 vezes Última modificação em Segunda, 20 Julho 2020 22:11

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.