Terça, 06 Outubro 2020 21:21

Atletas Olesc nas finais do Mundial Escolar de Xadrez Online Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(2 votos)
Thiago Kim, do Colégio Bom Jesus Santo Antonio (Blumenau) Thiago Kim, do Colégio Bom Jesus Santo Antonio (Blumenau) Arquivo pessoal

Quatro estudantes de Blumenau, do Colégio Bom Jesus Santo Antonio, participam do Campeonato Mundial Escolar de Xadrez Online. São Eles: Thiago Kim e Isadora Feller (ambos com 13 anos), na categoria até 14 anos; além de Gabriel de Borba e Gabriela Feller (16 anos), categoria 15 a 18 anos.

Thiago e Isadora se classificaram para a fase final da competição, programada para os dias 18 e 19 e já estão entre os 40 melhores do mundo. Os dois foram revelados na Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc). Na competição da Fesporte Thiago conquistou medalha de prata em 2018 e bronze em 2019, ambas por equipe. Já Isadora conquistou medalha de bronze por equipe na Olesc  2018.

O Campeonato Mundial Escolar de Xadrez Online iniciou dia 3, com a categoria até 14 anos,  está sendo realizado de forma inédita pela Federação Internacional de Esporte Escolar (ISF, da sigla em inglês) e reúne atletas de 35 países. Para evitar qualquer contágio pelo coronavírus as partidas são realizadas de forma remota com cada atleta em sua casa.  Os quatro blumenauenses são os únicos representantes do Brasil. 

Isadora Feller, de Blumenau, disputa mundial de xadrez (Arquivo pessoal)

A dupla Gabriel de Borba e Gabriela Feller estreia na competição nos dias 10 e 11 respectivamente (as finais serão dia 25 de outubro). Já tem no currículo títulos dos Joguinhos Abertos de Santa Catarina.

O campeão da categoria até 14 anos ganha o direito de participar de forma presencial dos Jogos Mundiais Escolares 2021 em Belgrado, na Sérvia. Enquanto que o vencedor da categoria 15 a 18 anos garante presença na Ginasíade 2021 em Jinjiang, na China.

“São quatro atletas talentosos que orgulham Santa Catarina, pois participam pela primeira vez de um  evento que reúne grandes competidores do mundo como Rússia e China, que são países fortes  na modalidade”, atesta a treinadora e mestre internacional de xadrez Regina Ribeiro.

Texto: Antonio Prado/Ascom Fesporte

Lido 373 vezes Última modificação em Terça, 06 Outubro 2020 23:53

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.