Quarta, 25 Março 2020 21:25

Fesporte buscará cumprir calendário esportivo 2020 Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(1 Voto)

Devido a distorções acerca dos eventos suspensos em decorrência da pandemia de coronavírus (Covid-19), o presidente da Fesporte, Rui Godinho, publicou nas redes sociais oficiais da instituição, na tarde desta quarta-feira, 25, uma manifestação a respeito da suspensão dos eventos esportivos, ação que, equivocadamente, está sendo interpretada por alguns como cancelamento.

A medida foi tomada por intermédio do Decreto Estadual 509, assinada pelo governador Carlos Moisés no dia 18 de março, determinando a suspensão dos eventos da Fesporte. O boato de que os eventos teriam sido cancelados tem levado alguns Municípios a querer promover o corte de bolsa-atleta, ação que, no momento, não seria recomendada.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Confira a publicação

A Fesporte vem a público esclarecer que não há nenhuma determinação em relação a cancelamento dos eventos esportivos por ela promovidos. O que foi explícito é a suspensão dos jogos, o que significa dizer que faremos o possível para concluir nosso calendário 2020.

O próprio governador, diuturnamente, e sua a equipe avaliam a situação e já apontam que teremos que gradualmente ir voltando à normalidade e convivência com o Covid-19. Por isso, neste momento, fica impossível fazermos qualquer avaliação que leve ao cancelamento dos eventos. 

Durante muitos anos da minha vida fui professor em escolas e academias, e essa era minha única fonte de renda, a qual me permitiu pagar a faculdade, cópias de livros e transporte, entre outros gastos necessários para a vida acadêmica.

Antes disso fui atleta, poderia ter despontado em competições internacionais, mas logo entendi que o esporte não era valorizado, tido como hobbie, lazer, e busquei outros caminhos. 

Vejo com preocupação atitudes de gestores que suspendem as bolsas-atletas (muitas vezes a única fonte de renda) e acredito que o próximo passo seja a extensão dessas medidas aos técnicos.  Até porque muitos deles dependem da bolsa para manter a rotina de atividades e preparação para competições, mesmo não ocorrendo competições em curto prazo. 

Essas medidas trarão enorme prejuízo para o esporte catarinense.  Inúmeros talentos abandonarão os treinamentos e dificilmente formaremos novos ídolos que servirão de bons exemplos para as crianças e jovens. A Fesporte continua trabalhando, mesmo em regime de teletrabalho (home Office), analisando as situações discutindo calendário, cumprindo as determinações do Governo e divulgando toda e qualquer medida oficial que seja dada em relação ao esporte catarinense, sobretudo aos eventos da Fesporte.

Rui Godinho da Mota

 

Lido 1400 vezes Última modificação em Quarta, 25 Março 2020 21:57

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.