Prado

A primeira edição, entre os dias 30 de julho e dia 5 de agosto, teve um alcance de 1,6 milhões de pessoas no Instagram. Agora, nesta quarta-feira, 12, a partir das 10h, a Fesporte prepara a segunda edição do Desafio de Modalidades Esportivas On-Line, batizado de Modeon. A idéia da instituição tem o objetivo mobilizar a comunidade esportiva de Santa Catarina e despertar a força de engajamento das diversas modalidades esportivas neste período de pandemia. Esta segunda edição abrange 64 modalidades do esporte catarinense. Na primeira disputa foram 32. 

O regulamento determina que o Modeon é um desafio on-line realizado em confrontos por meio de votação no story do instagram @fesportesc. Os confrontos duram 24h, período em que o público vota na sua modalidade preferida. Ganha o confronto a modalidade que tiver maior votação sobre a sua adversária passando de fase até chegar à grande final. Os participantes têm até o dia 20 de agosto para votar.

“Com os eventos esportivos parados, por conta da Covid-19, buscamos uma alternativa de movimentar a comunidade esportiva. A idéia era saber qual a modalidade tinha mais torcida no estado, por meio do voto no Instagram da Fesporte. Nos surpreendemos positivamente com o engajamento de atletas, dirigentes, pais, filhos, irmãos, presidentes de federações, todos pedindo votos para sua modalidade preferida. Enfim, o Modeon virou um case de sucesso”, destaca o presidente da Fesporte, Rui Godinho.

Na primeira edição o judô foi o campeão geral com 43.071 votos, uma média de 8.614 por confronto, seguido da natação, em segundo lugar, com 35.118, e em terceiro lugar o jiu-jisuo, com 32.726 votos. Foram sete dias de competição, 93 publicações, 150 mil interações, mais de 1,2 milhões de visualizações, com um alcance de 1,6 milhões de pessoas. Quase nove mil pessoas passaram a seguir a Fesporte no Instagram e ajudaram a totalizar os 243.053 votos. 

Participam da segunda edição do Modeon as modalidades de atletismo, automobilismo, badminton, basquete 3x3, basquete, bocha, bodyboard, bolão 16, bolão 23, boliche, boxe, canastra, canoagem, caratê, ciclismo, dança, dominó, escalada esportiva, esgrima, esportes eletrônicos, futebol, futebol 7, futebol de areia, futsal, ginástica rítmica, ginástica artística, golbol, golfe, halterofilismo, handebol, hipismo, hóquei de grama, jiu-jitsuo, judô, kitesurf, luta oliímpica, motociclismo, muaythai, nado sincronizado, natação, pádel, parabadminton, patinação, pentatlo moderno, pólo aquático, punhobol, remo, rúgbi, saltos ornamentais, skate, squash, stand up, surfe, taekwondo, tênis, tênis de mesa, tiro, tiro com arco, triatlo, truco, vela, vôlei, vôlei de praia e xadrez.

Texto: Antonio Prado

 

Texto: Antonio Prado

Confira só o vídeo em que o presidente da Fesporte, Rui Godinho, fala do sucesso do 1º Desafio de Modalidades Esportivas On-Line, batizado de Modeon. A ideia era saber qual a modalidade tinha mais torcida no estado. Clica aí que em breve a Fesporte terá muitos mais novidades. Mais de 243 mil participam do Desafio das Modalidades.

O campeão mundial de luta livre Marcelo Marcel Franco José da Silva, conhecido como Marcelo Brigadeiro, assume nesta sexta-feira, 7, a diretoria de esportes da Fesporte. Brigadeiro tem 38 anos e é natural do Rio de Janeiro, onde se formou em medicina veterinária pela Universidade Federal Fluminense (UFF). É integrante do Conselho Estadual de Esporte. 

Iniciou aos seis anos de idade nas artes marciais, praticando judô, e hoje é faixa preta quarto dan na Luta-Livre, modalidade pela qual é campeão mundial, europeu, tricampeão brasileiro e heptacampeão estadual. Como treinador, viveu de 2007 a 2011 em Liverpool, na Inglaterra, e foi nomeado três vezes consecutivas o melhor do cargo na Europa, comandando a Team Kaobon. Desde 2011, vive em Balneário Camboriú e atualmente é head coach da Astra Fight Team. Ele já produziu mais de 100 eventos na área esportiva e atualmente empresaria alguns dos grandes atletas das artes marciais.

“Assumir como diretor de esportes da Fesporte significa ter a oportunidade de modernizar o esporte catarinense. Essa modernização pode vir na inclusão de novas modalidades na área de atuação da Fesporte e até mesmo na implantação de grandes eventos esportivos. Com isso podemos fortalecer o turismo esportivo, aproveitando as inúmeras belezas naturais de Santa Catarina”.

Brigadeiro diz que é movido a desafios e a que sua condição de diretor na Fesporte seguirá este norte. “Tudo que fiz e faço em minha vida foi para ser o melhor, e agora, nessa nova etapa, não aceito menos que isso”, finalizou o novo diretor de esporte.

Texto: Antonio Prado

 Assista o vídeo da posse do novo diretor com a presença do presidente da Fesporte, Rui Godinho

O que fazer para movimentar milhares de atletas e dirigentes esportivos em tempos de pandemia em que as competições estão paralisadas? Foi pensando nisso que a Fesporte  criou o 1º Desafio de Modalidades Esportivas On-Line, batizado de Modeon. A idéia era saber qual a modalidade tinha mais torcida no estado, por meio do voto no Instagram da Fesporte.  A iniciativa virou uma febre entre a comunidade esportiva com as disputas começando dia 30 de julho e finalizando dia 5 de agosto.

Enfim, o certo é que a primeira edição Modeon foi um sucesso. O evento foi idealizado pelas gerências técnicas da Fesporte e a Assessoria de Comunicação (Ascom), como o objetivo de mobilizar a comunidade esportiva de Santa Catarina e despertar a força de engajamento das modalidades esportivas neste período de pandemia. 

Federações, atletas, técnicos, familiares, amigos, amantes do esporte, todos se envolveram nessa brincadeira saudável e tão importante para manter a proximidade entre os esportistas, mesmo com as restrições sociais e a falta de competições. 

Foram sete dias de competição, 93 publicações, 150 mil interações, mais de 1,2 milhões de visualizações, com um alcance de 1,6 milhões de pessoas. Quase nove mil pessoas passaram a seguir a Fesporte no Instagram e ajudaram a totalizar os 243.053 votos. Foram 32 modalidades participando desta primeira edição, que teve o judô como vencedor, somando, em cinco confrontos, 43.071 votos, uma média de 8.614 por confronto. 

O segundo lugar ficou com a natação com 35.118 votos, seguido do jiu-jisuo, em terceiro lugar com 32.726 votos.

Participaram da primeira edição 32 modalidades: atletismo, caratê, ciclismo, basquete, bocha, bolão 16, bolão 23, boxe, dança, judô, natação, jiu-jitsuo, luta olímpica, ginástica rítmica, ginástica artística, handebol, futsal, futebol, voleibol, vôlei de praia, triatlo, tiro armas curtas, tiro armas longas, tiro ao prato,  tênis, tênis de mesa, taekwondo, golbol, punhobol, surfe, remo e xadrez.

O sucesso foi tão bom, que a Ascom já está preparando a segunda edição, envolvendo mais modalidades e, com elas, mais pessoas que vão compartilhar os momentos de emoção.

Texto: Heron Queiroz

Ela foi um dos destaques do primeiro dia do atletismo, no segmentos de deficiências intelectual (DI), dos Jogos Abertos Paradesportivos de Santa Catarina,  os Parajasc, na pista municipal de Caçador, dia 15 de outubro de 2019.  O choro da atleta Priscila Manoela Becker, de 20 anos, da cidade de São Bento do Sul emocionou a todos. Ela foi primeira colocada na prova de 100 metros rasos para portadores de Síndrome de Down. Chorando, ela dedicou a medalha à mãe, Solange. A princípio uma homenagem comum, até que o técnico Luís Cláudio Ramalho esclareceu que a mãe havia falecido.

“Eu estou feliz. O meu pai está orgulhoso e muito feliz. Ofereço a medalha à minha mãe, porque eu amo muito ela, demais!”, disse Priscila. “A emoção é pelo fato de elas estarem treinando, se dedicando. Vale todo o sacrifício. Contagia todo mundo. Isso não tem preço que pague”, destacou Ramalho.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

O presidente da Fesporte, Rui Godinho, esteve nesta semana, em Jaraguá do Sul, conversando com dirigentes municipais locais e confirmou a realização da etapa estadual dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc) 2021 para o município do norte catarinense. A decisão foi em caráter excepcional, já que por conta da pandemia da Covid-19, a edição dos Jasc 2020, programada para o final do ano, em Jaraguá, foi prejudicada. 

Assim, diante das incertezas devido a pandemia elaborou-se uma edição de Jasc 2020 mais alternativa, com menos modalidades, sem público, com ajustes de horários, jogos com transmissão ao vivo e com todos os protocolos de segurança contra a Covid-19. “Nosso objetivo é trazer as pessoas para mais perto do esporte e manter essa chama acesa”, destaca Rui.

Entretanto, a realização da etapa estadual dos Jasc 2020 ainda dependerá da autorização do Governo Estadual e do aval das autoridades sanitárias. E foi justamente diante desta excepcionalidade que os dirigentes jaraguenses solicitaram à Fesporte, por meio de oficio, o pedido para que o município sediasse o evento em 2021.

Na reunião em Jaraguá do Sul Rui Godinho informou que para a edição do ano que vem o governo estadual, por meio da Fesporte, construirá um estande de tiro olímpico, no valor de R$ 800 mil por meio de repasse via emenda parlamentar.

 

 

 

Pagina 1 de 239