Publicado em Olesc
Escrito por

Olesc terá vôlei de praia como apresentação a partir de 2021

Agora é oficial. A partir de 2021 a Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc) terá em sua programação a modalidade de vôlei de praia. A decisão foi aprovada e homologada na última reunião do Conselho Estadual de Esporte (CED). Esta realidade é um antigo sonho dos municípios e também da Federação Catarinense de Voleibol (FCV) que efetuaram pedido à Fesporte, que encaminhou a solicitação para o CED.

Como determina o regulamento da Olesc, nos dois primeiros anos de competição o vôlei de praia estará na programação apenas como modalidade de apresentação, não contando pontos para a classificação final das equipes.

Após os dois anos, a Fesporte analisará o desempenho da modalidade e viabilidade técnica no período de competição e poderá oficializar ou não a participação no programa oficial da Olesc. Caso seja aprovada a modalidade passa a pontuar oficialmente no quadro de pontos.

O vôlei de praia já faz parte da programação oficial de outros eventos da Fesporte como Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc),  Joguinhos Abertos de Santa Catarina e Jogos Escolares de Santa Catarina (Jesc) 15 a 17 anos. 

Outra modalidade que estará no sistema de apresentação para a Olesc 2021 é o badminton, que foi aprovado em 2019 e que não pôde estrear como apresentação em 2020 por conta da pandemia.

Texto: Antonio Prado

Ascom Fesporte

Publicado em Olesc
Escrito por

Atletas Olesc nas finais do Mundial Escolar de Xadrez Online

Quatro estudantes de Blumenau, do Colégio Bom Jesus Santo Antonio, participam do Campeonato Mundial Escolar de Xadrez Online. São Eles: Thiago Kim e Isadora Feller (ambos com 13 anos), na categoria até 14 anos; além de Gabriel de Borba e Gabriela Feller (16 anos), categoria 15 a 18 anos.

Thiago e Isadora se classificaram para a fase final da competição, programada para os dias 18 e 19 e já estão entre os 40 melhores do mundo. Os dois foram revelados na Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc). Na competição da Fesporte Thiago conquistou medalha de prata em 2018 e bronze em 2019, ambas por equipe. Já Isadora conquistou medalha de bronze por equipe na Olesc  2018.

O Campeonato Mundial Escolar de Xadrez Online iniciou dia 3, com a categoria até 14 anos,  está sendo realizado de forma inédita pela Federação Internacional de Esporte Escolar (ISF, da sigla em inglês) e reúne atletas de 35 países. Para evitar qualquer contágio pelo coronavírus as partidas são realizadas de forma remota com cada atleta em sua casa.  Os quatro blumenauenses são os únicos representantes do Brasil. 

Isadora Feller, de Blumenau, disputa mundial de xadrez (Arquivo pessoal)

A dupla Gabriel de Borba e Gabriela Feller estreia na competição nos dias 10 e 11 respectivamente (as finais serão dia 25 de outubro). Já tem no currículo títulos dos Joguinhos Abertos de Santa Catarina.

O campeão da categoria até 14 anos ganha o direito de participar de forma presencial dos Jogos Mundiais Escolares 2021 em Belgrado, na Sérvia. Enquanto que o vencedor da categoria 15 a 18 anos garante presença na Ginasíade 2021 em Jinjiang, na China.

“São quatro atletas talentosos que orgulham Santa Catarina, pois participam pela primeira vez de um  evento que reúne grandes competidores do mundo como Rússia e China, que são países fortes  na modalidade”, atesta a treinadora e mestre internacional de xadrez Regina Ribeiro.

Texto: Antonio Prado/Ascom Fesporte

Publicado em Olesc
Escrito por

Olesc: o programa esportivo marcado pela resistência

Conheça a história do programa esportivo cuja criação já levantava polêmica. A Olesc surgiu para cobrir a lacuna deixada pelos Jogos Escolares e resistiu quando estes voltaram ao calendário da Fesporte. Com um cancelamento em 2009 devido à gripe A, a comunidade esportiva pressionou e impediu o segundo cancelamento em 2015, devido a greve na educação. A pressão pesou ainda em alguns rumores sobre a extinção do evento, que se solidificou como uma das mais importantes competições poliesportivas de Santa Catarina.

A ideia da criação da Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc) surgiu depois que os Jogos Escolares de Santa Catarina (Jesc) passaram a ser geridos pelo departamento de Educação Física da Secretaria de Estado da Educação. Preocupados com a lacuna que isso abriria no esporte escolar, na faixa etária de 11 a 15 anos, os dirigentes da Fesporte decidiram criar outro evento escolar. A partir disso, foi encaminhada a proposta ao Conselho Estadual de Esporte (CED). E numa reunião de muita polêmica, que durou 13 horas, em 12 de dezembro do ano 2000, 18 dos 21 conselheiros do CED enfim aprovaram o projeto de criação da Olesc.

No dia 9 de março de 2001, a Fesporte abriu seu calendário de competições daquele ano com a etapa microrregional da Olesc, no município de em Capão Alto, na região Centro-Oeste, tendo a participação de sete equipes no futsal masculino e três no voleibol feminino. Inauguravam-se assim as competições da Olesc. O programa trazia novidades no quadro de modalidades. Nele se incluíam futsal feminino, natação, tênis, ginástica rítmica e ginástica artística, que se juntariam às modalidades então disputadas nos Jogos Escolares, como atletismo, basquetebol, handebol, tênis de mesa e xadrez.

 

Olesc nasce em 2001, em Criciúma

A partir do dia 7 junho daquele ano, em Mafra, iniciou-se a etapa regional da Olesc, sendo a primeira região a Leste-Norte, com sede em Mafra. Depois vieram as disputas do Centro-Oeste, em Capinzal, dia 8; Oeste, em Mondaí, dia 9, e, por fim, a Sul, em Armazém, dia 14. A etapa estadual da primeira Olesc aconteceria em Criciúma, de 17 a 24 de julho. A edição só não contou com a modalidade de ginástica artística, denominada na época de ginástica olímpica, por não preencher o número mínimo de oito inscritos.

O congresso técnico da etapa estadual aconteceu no dia 4 de julho, no salão nobre da prefeitura de Criciúma. Foi se quando definiu a participação de 65 municípios e 4 mil atletas. Enfim o dia 17 chegara. A competição iniciou, pela manhã, com handebol masculino, além do futsal, tênis e vôlei femininos. E às 19 horas, o aguardado momento: no Ginásio Municipal Irmão Walmir Antônio Orsi, acontecia a cerimônia de abertura da 1ª Olesc, abordando o tema “Urbano e humano jogando no mesmo time”, coreografado com 30 bailarinos da cidade-sede, tudo isso sob os olhares plenos de orgulho dos idealizadores Pedro Bastos, então presidente da Fesporte, e Luiz Carlos Barbosa, o Kalu, diretor de esporte na época.

A primeira medalha de ouro da Olesc foi conquistada por Sidnei Cunha, de Blumenau, nos 3 mil metros masculino (10min5seg43). Entre as mulheres, a primeira medalhista de ouro foi Gisela Cardoso, também de Blumenau, no lançamento de disco (30m35cm). Dos atletas que se destacaram na primeira Olesc estão Luísa Matsuo, da ginástica rítmica de Florianópolis. A atleta foi a primeira a ganhar medalha de ouro como campeã individual geral, com 12.333 pontos. Depois de oito dias de competição, Jaraguá do Sul sagrou-se campeão geral da primeira Olesc com 94 pontos - um a mais que Blumenau, segundo colocado com 93. Joinville terminou em terceiro lugar com 75 pontos.

Criados para cobrir a ausência dos Jogos Escolares, a Olesc se manteve no calendário esportivo da Fesporte, mesmo os Jesc tendo voltado a fazer parte da grade da Fesporte alguns anos depois, e ainda em duas versões etárias: de 12 a 14 e de 15 a 17 anos. É que, apesar de serem eventos escolares, os Jesc se caracterizam como competições interescolares, enquanto a Olesc são selecionados municipais em que os participantes devem comprovar matrícula e frequência escolar.

 

Comunidade esportiva impede cancelamento da Olesc

Em 2015, um cancelamento do evento chegou a ser anunciado, em função de falta de disponibilidade de alojamento, já que o ano foi marcado por greve na educação, e as escolas, que normalmente alojam as delegações, não poderiam perder mais dias letivos. A comunidade esportiva fez pressão e a competição aconteceu em Jaraguá do Sul. A partir de 2013, embora ainda com a sigla Olesc, a Olimpíada Estudantil Catarinense passou a ser oficialmente chamada Jogos Escolares da Juventude, em decorrência da restrição do uso do termo "olimpíada"; porém, em 2016, aconteceu a liberação e o evento passou a utilizar a denominação original.

Atual campeão, Joinville é o município de maior número de títulos da história da Olesc: dez vezes no mais alto lugar do pódio                Foto: Heron Queiroz

Desde a primeira edição, em 2001, somente em 2009, as competições não aconteceram, em decorrência da gripe A. Os joinvilenses foram que mais somaram títulos até aqui, foram 10. Além de Joinville, somente outros três municípios subiram ao lugar mais alto do pódio da Olesc: Blumenau, quatro vezes; Jaraguá do Sul, que teve os dois primeiros títulos da história (2001 e 2002) e Criciúma, também com dois títulos.

Além de Luísa Matsuo, vários outros nomes importantes no esporte brasileiro passaram pela Olesc, como Jéssica Maier, também da ginástica rítmica; Natália Zílio e Rosamaria Montibeller, ambas do vôlei; Bateria, do futsal, Darlan Romani e Ana Cláudia Lemos, do atletismo, entre tantos outros.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Publicado em Olesc
Escrito por

Ana, a pequena notável, é a melhor da Olesc

A sexta-feira 13 é, para muitas pessoas, o dia do azar.  Mas foi neste dia que a ginasta Ana Luíza Francesci, de Joinville, se consagrou como a melhor atleta da ginástica rítmica da 19ª edição da Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc), em Videira. Logo no primeiro dia de competição, na mesma sexta, Aninha, de apenas 11 anos, brilhou nos aparelhos mãos livres e corda. As apresentações somaram 43.950 pontos, impressionaram a arbitragem e garantiram à joinvilense a medalha de ouro no individual geral.

No dia seguinte, sábado, 14, já com o titulo de melhor ginasta, ela entrou novamente no tablado para disputar mais duas decisões no individual por aparelho. Na disputa do aparelho mãos livres foi ouro novamente e prata no aparelho corda. Perdeu o primeiro lugar para Natalia Metzner, de Blumenau.

Ao fazer uma avaliação do título do individual geral Ana Luíza Francesci foi enfática: “Foi uma honra muito grande (a conquista da medalha de ouro), pois foram horas e dias de treinamento, incluindo sábados e domingos. Isso é muito satisfatório, pois sei que todo o esforço valeu a pena”. 

Irmã de campeã

Irmã da também da ginasta supercampeã Luana Metzner, na qual se inspira, as palavras de Ana soam como um processo de mudança de patamar. Nada mal para uma atleta que na Olesc do ano passado nem se lembra em qual colocação ficou no individual geral. Recorda-se apenas que foi prata no aparelho mãos livres e bronze no individual por equipe.

Para a treinadora Vanessa Hagemann, a principal virtude de sua pupila é expressão corporal. “A Ana tem uma delicadeza corporal que encanta. Algumas árbitras estrangeiras dizem que ela tem um estilo europeu e isso, para o mundo da ginástica, tem um valor muito grande. Mas, além disso, ela é uma atleta dedicada nos treinos,  perfeccionista, sabe o que quer, tem atitude e um imenso talento”.

Por esse talento, entendem-se medalhas. Aninha diz que não sabe exatamente quantas conquistou na curta carreira, que iniciou com cinco anos de idade. “Acho que é de vinte e cinco a trinta medalhas”, chuta. Questionada sobre as cores das medalhas ela diz com segurança: “A maioria é de ouro”. Estes reconhecimentos vieram com títulos como estadual em 2017, quando foi campeã geral no pré-infantil, campeã sul-americana 2018, mesmo ano que foi campeã brasileira no aparelho corda.

Então. Alguém duvida de que essa pequena notável vá longe? 

Texto: Antonio Prado/Ascom Fesporte

Publicado em Olesc
Escrito por

Este é Eduardo Malczevski, o atleta mais rápido da Olesc

Quinta-feira é dia de #TBT e a Fesporte relembra o feito do atleta Eduardo Malczevski, de Blumenau, que bateu o recorde dos 100m rasos da 19ª Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc), na tarde de sexta-feira, 13 de setembro de 2019 em Videira, primeiro dia de competições.

Eduardo completou a prova com o tempo de 10s81. Vindo de contusão na coxa direita, ele disse que não esperava fazer um tempo abaixo dos 11s. Na época ele estava treinando há um ano e meio para esse tipo de prova e já havia quebrado o recorde estadual na categoria, na última semana, antes da Olesc, em Jaraguá do Sul, com o tempo de 10s68.

A marca anterior, de 10s87, permanecia desde 2004. A prova ainda teve em segundo lugar Ryan Ottomeyer, de São José, com 10s95; e em terceiro, Arthur Ruckl, de Joinville, com 11s38.

Abaixo confira o vídeo com a performance de Eduardo

 

Publicado em Olesc
Escrito por

Bolsa-atleta auxilia Gabriel na ginástica olímpica

Gabriel Luan Vieira Ramos,13 anos, ginasta da Associação de Ginástica Olímpica/Fundação Municipal de Esportes de São Bento do Sul. Apesar da pouca idade Gabriel já tem performance de destaque como o tricampeonato da Olesc, campeão dos Joguinhos Abertos, estes por equipes, além medalha de ouro do campeonato estadual no individual geral.

Assim como os milhares de atletas no Brasil luta para se manter em forma em época de Covid-19. Nestes tempos de pandemia o ginásio deu lugar a casa para a prática dos exercícios. A dificuldade pela falta de competição é amenizada pelo auxílio do Programa Bolsa-Atleta patrocinado pela prefeitura de São Bento do Sul. 

O auxílio da bolsa-atleta tem ajudado financeiramente em casa, pois complementa os R$ 750,00 recebidos pela da mãe (auxiliar de serviços gerais), mais o valor recebido pelo pai (auxiliar de operação) que está afastado do trabalho por problemas de saúde por tempo inderteminado. 

A família conta com seis pessoas sendo umas delas com problemas especiais. Assim, o auxílio da bolsa-atleta colabora muito pelas dificuldades que Gabriel e sua família enfrentam nesse momento pandemia do COVID-19.

Sendo destaque no aparelho cavalo com alças, Gabriel tem como treinador o armênio Vachagan Ter Meliksetyan, mais conhecido com Vatik, que já foi tricampeão olímpico e bicampeão mundial de ginástica artística pela antiga União Soviética. 

Gabriel Ramos começou na ginástica olímpica aos 06 anos e em pouco tempo foi escolhido pelo seu treinador para integrar a equipe masculina de ginástica de São Bento do Sul. A partir do convite o garoto dedicou boa parte de seu tempo aos treinos, até conquistar sua primeira medalha no campeonato estadual aos sete anos de idade. Pouco tempo depois já era destaque em competições importantes sendo medalha de ouro na Olesc, Joguinhos e campeonato estadual.

Antes da pandemia a rotina de Gabriel era as quatro horas de estudo pela manhã no oitavo ano da Escola Municipal Dalmir Pedro Cubas e à tarde mais quatro hora de treinamento na Fundação Municipal de Esportes de São Bento do Sul. E quando se aproximava as competições os treinamentos se intensificavam nos finais de semana.

Agora o ginasta são-bentense se prepara para iniciar os treinamento pelo projeto Fique em casa, da Federação de Ginástica de Santa Catarina.  “Aproveito este espaço para agradecer todo o apoio que a prefeitura de São Bento do Sul tem me dado por meio da Fundação Desporto em me conceder o auxílio da bolsa-atleta, ao meio treinador e também quero agradecer o apoio da   Associação de Ginástica Olímpica de São Bento do Sul”, finaliza Gabriel.

Texto: Antonio Prado

Publicado em Olesc
Escrito por

Joinville é campeão da Olesc pela décima vez

Depois de nove dias de competições, o município de Joinville se consagrou neste sábado, 21, em Videira, como o campeão geral da 19ª edição da Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc), com 120 pontos. Florianópolis fechou em segundo lugar com 109 e Jaraguá do Sul em terceiro com 88.

Para se consagrar como os melhores da competição, os joinvilenses foram campeões no masculino e feminino do atletismo e caratê, além da natação feminina, tênis masculino. Este é o décimo título conquistado pela cidade do Norte do estado na história da Olesc. 

“É um título que vem para consolidar o trabalho. Joinville investe forte nas categorias de base por meio do Programa Iniciação Esportiva, que atende a mais de 8 mil crianças, principalmente de área de vulnerabilidade social, de onde surgem talentos para fazer parte das nossas equipes de rendimento. É um sistema muito sustentável, que valoriza os atletas da casa”, disse Estevan Cattoni, Secretário Municipal de Esporte de Joinville.

A etapa estadual da Olesc começou no dia 13 de setembro com a participação de 2.800 atletas com idades entre 8 a 17 anos vindos de 82 municípios.  Estiveram em disputa as modalidades atletismo, basquetebol, caratê, ciclismo, futsal, ginástica rítmica, ginástica artística, handebol, natação judô, tênis, tênis de mesa, voleibol e xadrez.

Neste sábado, ultimo dia de competições, foram definidos os campeões do basquete, futsal, vôlei e tênis masculinos; do handebol feminino; do judô e tênis de mesa masculinos e femininos.

No basquete masculino, Jaraguá do Sul ficou com o título, ao vencer Chapecó por 59 a 48. No futsal masculino, o troféu maior ficou com Jaraguá do Sul, que derrotou Criciúma por 3 a 1. No handebol feminino, Blumenau chegou mais alto no pódio, ao aplicar 29 a 16 no na equipe de Criciúma.

No tênis masculino, o confronto entre Florianópolis e Joinville, teve a equipe do Norte como vencedora, em dois jogos, duplo 2 a 0. O tênis de mesa feminino teve como campeões, na soma das competições individuais, duplas e equipes, os representantes de Pouso Redondo; e no masculino, Joaçaba. No vôlei masculino, Brusque fez 3 a 0 em Balneário Camboriú (25/21, 25/22 e 25/20), tornando-se campeão.

A Olesc foi uma realização do Governo de Santa Catarina, por meio da Fesporte, em parceria com a prefeitura de Videira. Ao fazer uma análise do evento o presidente da Fesporte, Rui Godinho, se disse satisfeito com o resultado final da competição. 

“Fizemos uma grande Olesc. Tivemos uma grande visibilidade por meio dos canais de comunicação da Fesporte, inclusive com transmissão ao vivo de vários jogos. Tivemos medalhas e troféus com o sistema braile, que facilita a inclusão do deficiente visual no processo. Por fim tivemos um nível técnico excelente de jogos. Todos estão de parabéns”, finalizou Godinho.

Por questões de logísticas duas modalidades foram disputadas antecipadamente, a natação e a ginástica artística foram realizadas recentemente em Palhoça e Blumenau respectivamente.

Jaraguá do Sul foi campeã geral na natação masculina e Joinville no gênero feminino. Já na ginástica artística o título ficou com São Bento do Sul, entre os homens, e Florianópolis entre as mulheres.

Os campeões por modalidade

Atletismo masculino – Joinville

Atletismo feminino – Joinville

Basquete masculino – Jaraguá do Sul

Basquete feminino – Jaraguá do Sul

Ciclismo – Jaraguá do Sul

Caratê masculino – Joinville

Caratê feminino – Joinville

Futsal masculino – Jaraguá do Sul

Futsal feminino – Arvoredo

Ginástica artística masculina – São Bento do Sul

Ginástica artística feminina – Florianópolis

Ginástica rítmica – Florianópolis

Handebol masculino – Itajaí

Handebol feminino – Blumenau

Natação masculina – Jaraguá do Sul

Natação feminina – Joinville

Tênis masculino – Joinville

Tênis feminino – Itajaí

Tênis de mesa masculino – Joaçaba

Tênis de mesa feminino – Pouso Redondo

Voleibol masculino – Brusque

Voleibol feminino – Saudades

Xadrez masculino – Florianópolis

Xadrez feminino – São Bento do Sul

A cerimônia de encerramento aconteceu no Complexo Esportivo Sérgio Luiz Marafon (Medalhão). Os resultados e programação da Olesc podem ser acompanhados pelos boletins, publicados ao fim de cada dia de competição no site oficial da Fesporte (acesse aqui). 

A Olesc é um evento promovido pelo Governo de Santa Catarina – @governosc – e realizado por intermédio da Fesporte, tendo esta 19ª edição a parceria com o Município de Videira.

Texto: Antonio Prado/Heron Queiroz/Ascom Fesporte

 

Publicado em Olesc
Escrito por

Sábado de decisões para agitar último dia de Olesc

Encerrado o penúltimo dia de competições na 19ª edição Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc), em Videira. Sete modalidades voltam às praças esportivas neste sábado, 20, em busca de medalhas, troféus e pontuação no quadro geral, até o momento liderado por Joinville, com 100 pontos.

O tênis feminino chegou ao final, com Itajaí em primeiro, Criciúma em segundo e Florianópolis em terceiro.

Nove títulos ainda estão em disputa: o basquete, o futsal, o vôlei e o tênis masculinos; o handebol feminino; o judô e o tênis de mesa, estes no masculino e no feminino. No tênis masculino, Itajaí e Joinville decidirão o título, na manhã deste sábado.

As modalidades coletivas, em dia de semifinais, definiram os finalistas. No basquetebol masculino, Jaraguá do Sul e Chapecó brigarão pelo título. A equipe do Norte do estado derrotou a de Florianópolis por 82 a 70, No outro jogo, Chapecó passou por Itajaí, pelo placar de 72 a 48.

No futsal masculino, Criciúma e Jaraguá do Sul decidirão o título. Criciúma fez 5 a 2 sobre São José, e Jaraguá do Sul venceu Içara por 4 a 3. 

No vôlei masculino, deu Balneário Camboriú e Brusque. Na primeira semifinal, Balneário Camboriú fez 3 a 0 em Gaspar (27/25, 25/15 e 25/20); na outra, Brusque aplicou 3 a 2 sobre Jaraguá do Sul (24/26, 23/25, 25/22, 25/22 e 15/10). 

No handebol feminino, Criciúma e Blumenau fazem a final. A equipe da Capital do Carvão passou por Concórdia, pelo placar de 14 a 13; enquanto as meninas de Blumenau venceram as de Balneário Camboriú por 24 a 14.

Tanto o tênis de mesa quanto o judô fazem as disputas por equipe neste sábado. As disputas em duplas encerraram na manhã desta sexta. Chapecó ficou o título no masculino e Videira no feminino. 

No judô, 18 categorias por peso (nove masculinas e nove femininas) estiveram em disputa. Destaques para Itajaí, que conquistou três ouros, uma prata e dois bronzes; e Florianópolis, com dois ouros, quatro pratas e três bronzes. 

Os resultados e programação da Olesc podem ser acompanhados pelos boletins, publicados ao fim de cada dia de competição no site oficial da Fesporte (acesse aqui). 

A Olesc é um evento promovido pelo Governo de Santa Catarina – @governosc – e realizado por intermédio da Fesporte, tendo esta 19ª edição a parceria com o Município de Videira.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Publicado em Olesc
Escrito por

Criciúma e Jaraguá do Sul fazem final do futsal da Olesc

À tarde desta sexta-feira, 20, em Videira, foi o dia de definir os finalistas do futsal masculino da 19ª Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc). No final da rodada das semifinais os atletas de Criciúma e Jaraguá do Sul saíram comemorando da quadra do ginásio Marafon a classificação para a grande final da modalidade, que ocorre neste sábado, 21.

Na primeira partida da tarde, Criciúma e São José se enfrentaram e durante todo o jogo os criciumenses se mostraram superiores construindo um placar final de 5 a 2, com destaque para Paulista, autor de três gols, além de Gustavo e Yuri. Descontaram para São José Gabriel e Marcel, já no fim do jogo.

“Fiquei muito feliz pela vitória e pelos três gols que fiz. Nosso time veio desacreditado para esta competição e agora estamos na final e neste jogo não iremos facilitar para o nosso adversário”, destacou o artilheiro Paulista.

Criciúma (com a bola) venceu São José por 5 a 2 (Foto: Antonio Prado/Fesporte)

Na semifinal seguinte houve equilíbrio entre Jaraguá do Sul e Içara com os dois times trocando gols, mas por fim Carlinhos fechou o placar em 4 a 3 para os jaraguaenses. Carlinhos fez ainda outro gol, a exemplo de Jeferson e Wendel. Elinton e Kauan, duas vezes, anotaram os gols de Içara.

                                                      Assista aos gols de Jaraguá do Sul 4x3 sobre Içara 

“A vitória é de todo o time que se dedicou desde o início da competição, dando o máximo, fazendo bons jogos, se entregando até o final. Agora temos a final com Criciúma e se jogarmos com raça e vontade como hoje seremos campeões”, falou ao final o jaraguaense Carlos.   

A etapa estadual da Olesc é uma promoção do Governo de Santa Catarina @governosc, por meio da Fesporte, em parceria com a prefeitura de Videira.

Texto: Antonio Prado/Ascom Fesporte.

                                                       Confira a entrevista de Paulista, de Criciúma, que fez 3 gols em São José, pela semi do futsal

                                                     Entrevista de Carlos e Daivid, Futsal de Jaraguá do Sul

 

Publicado em Olesc
Escrito por

Definidas as primeiras medalhas do tênis de mesa

A sexta-feira, 20, foi dia de conhecer os primeiros medalhistas do tênis de mesa da Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc). E eles vieram das disputas de duplas. No masculino Chapecó sagrou-se campeão ao vencer por 3 a 2 a Joinville. No feminino Videira levou a medalha de ouro após vitória de 3 a 1 diante de Pouso Redondo.

Guilherme Marchiori e Thiago França formaram a dupla de Chapecó e enfrentaram Bruno Weber e Vinícius Magrich, de Joinville. Os Joinvilenses abriram a vantagem em 2 a 0 (com parciais de 12/10 e 11/5), mais receberam o empate e a virada de Chapecó por 3 a 2 (com parciais 11/6, 11/6 e 11/3.

“É minha primeira Olesc e é um título muito importante que marcará minha vida”, resumiu o campeão Guilherme. “É meu primeiro título de duplas e isso sempre será lembrado com carinho”,  completou o parceiro Thiago.

 Fernanda Lamb e Maria Eduarda Comin, de Videira, foram campeãs na dupla (Foto: Antonio Prado/Fesporte)

No feminino, Maria Eduarda Comin e Fernanda Lamb defenderam as cores de Videira na final contra Érica Peters e Laira da Silva, de Pouso Redondo. As videirenses saíram perdendo, sendo derrotadas no primeiro set por 11/8, mas depois reagiram e fecharam os sets seguintes com parciais de 12/10, 15/13 e 11/8.

“Era um título que temos pensado desde o início do ano e felizmente agora conseguimos atingir esta meta”, disse no pódio a campeã Maria Eduarda. “É uma medalha muito importante, pois a Olesc é uma competição muito difícil de conquistar e trabalhamos muito para conseguir este objetivo”,  enfatizou Fernanda.

As competições do tênis de mesa prosseguem nesta sexta-feira quando serão definidos os campeões individuais, no início da noite. A modalidade se encerra neste sábado, 21, com as disputas por equipes.

A etapa estadual da Olesc é uma promoção do Governo de Santa Catarina @governosc, por meio da Fesporte, em parceria com a prefeitura de Videira.

Texto: Antonio Prado/Ascom Fesporte

Publicado em Olesc
Escrito por

Reta final: mais dois dias para definir o campeão da Olesc

Nem as chuvas que caíram durante praticamente toda a quinta-feira, 19, diminuíram o calor das disputas da fase eliminatória no penúltimo dia de competições da Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc), na cidade de Videira. As disputas vão-se afunilando na busca de medalhas, troféus e da pontuação que definirá o campeão geral desta edição, até o momento, liderada por Joinville.

As modalidades coletivas concluíram a fase eliminatória. Dezesseis equipes fizeram as malas, outras dezesseis permanecem na competição, que chega às semifinais nesta sexta-feira, 20, pra decidirem os finalistas do basquete, futsal e vôlei masculinos e do handebol feminino. Os resultados e programação da Olesc podem ser acompanhados pelos boletins, publicados ao fim de cada dia de competição no site oficial da Fesporte (acesse aqui). 

Pela manhã, acontecem os jogos do handebol e do vôlei. No handebol feminino, os confrontos ficaram entre Criciúma e Concórdia, numa semifinal, e Balneário Camboriú e Blumenau na outra. As partidas serão realizadas respectivamente às 10h e às 11h15, no Ginásio de Esporte Sérgio Luiz Marafon.  E no vôlei, às 10h, Balneário Camboriú e Brusque decidem uma vaga na final, enquanto Gaspar e Jaraguá do Sul, às 11h30min, decidem a outra vaga. 

À tarde é a vez do basquete e do futsal. No basquete masculino, às 14h, uma semifinal acontece entre Jaraguá do Sul e Florianópolis, e, às 15h30min, entram em quadra Chapecó e Itajaí, no Ginásio Padre Bruno. No futsal masculino, Rio do Sul enfrenta São José, às 16h, e Içara joga contra Jaraguá do Sul, às 17h15min, no Ginásio de Esporte Sérgio Luiz Marafon. 

Chuvas alteram programação de competições

Em função das chuvas e das descargas elétricas, que deixaram parte do município de Videira sem energia elétrica por cerca de uma hora, algumas modalidades sofreram atraso, como o futsal, que conseguiu concluir as partidas do dia, e tênis e tênis de mesa, que tiveram a programação alterada. 

No tênis de mesa, que acontece no Ginásio do Parque da Uva, a decisão das duplas, que ocorreria na noite de quinta, 19, passou para a manhã do dia seguinte, a partir das 10h. No feminino, as duplas de Videira (Maria Eduarda Comin e Fernanda Castamann) fazem a final com a de Pouso Redondo (Laira da Silva e Érica Peters). No masculino, as partidas estão em fase semifinal. São Bento e Joinville decidem quem vai à final com Chapecó.

No tênis, a alteração se deu em função da adequação de horário à quadra coberta. No feminino, Itajaí e Criciúma jogam às 8h, e Joinville e Florianópolis, às 9h. No masculino, às 10h30min, jogam Itajaí e Florianópolis, e, às 11h30, Brusque e Joinville.

A Olesc é um evento promovido pelo Governo de Santa Catarina – @governosc – e realizado por intermédio da Fesporte, tendo esta 19ª edição a parceria com o Município de Videira.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

 

Publicado em Olesc
Escrito por

Deficiência física não impede o amor pelo tênis de mesa

São cerca de 194 atletas participando do tênis de mesa da 19ª Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc) em Videira. Todos sabem que praticar a modalidade não é fácil, pois exige horas de treinamento, concentração e muita disciplina, além de equilíbrio emocional. Se para o participante competir na etapa estadual da Olesc já é difícil imagine quando se tem uma deficiência física. Neste caso, o caminho é muito mais difícil.

Allana Maschio, 13 anos, de Balneário Camboriú, está debutando na Olesc. André Luís de Jesus, 15 anos, de Pouso Redondo, participa da competição pela segunda vez. Ambos, além do amor pelo tênis de mesa, têm algo em comum: São deficientes físicos e servem de inspiração aos demais mesatenistas que disputam a Olesc.

Allana nasceu com uma deficiência congênita no pé direito que o fez entortar, tendo que usar uma prótese de apoio para poder andar.  André nasceu com paralisia cerebral espástica que lhe atrofiou os músculos, principalmente os das pernas.  A paralisia atinge a região do córtex motor do cérebro, responsável pelos movimentos. Nesse caso, os músculos possuem a sua capacidade de força reduzida e o tônus elevado, o que provoca enrijecimento.

O esporte contra o bullying

A garota de Balneário Camboriú começou a jogar tênis de mesa aos nove anos de idade, quando se apaixonou  pela modalidade. “Uns meninos da Fundação de Esporte vieram treinar na minha escola vi aquilo e gostei e fui jogar”, lembra. Aos 10 anos de idade disputou o Campeonato Brasileiro pré-mirim sendo campeã individual, disputando com atletas não deficientes.

De lá pra cá o amor pelo tênis de mesa só aumentou. Diz que o esporte lhe fez mais forte, ao ponto de não ligar pelos poucos bullyings que sofreu devido à deficiência. “Nem lembro que sou deficiente. Isso nem me atrapalha no jogo”, confessa. Em Videira, na disputa da Olesc, diz que mais que vencer o importante é participar. “Está aqui disputando a Olesc está sendo uma experiência incrível. Não dá nem para descrever”, admite.

 

 André nasceu com paralisia cerebral espástica que lhe atrofiou os músculos (Foto: Antonio Prado/Fesporte)

Para o seu treinador, Rodrigo Bozan, Alline é inspiração para todos os integrantes de Balneário Camboriu. “Allana é uma ótima atleta, tem talento e força de vontade. Eu sempre falo dela para meus alunos, principalmente para aqueles que querem desistir por preguiça de treinar. Ela é uma fonte de inspiração pra muita gente”, atesta Bozan.

Inspiração também é a palavra que se encaixa quando se conhece a trajetória de André Luis de Jesus , 15 anos. Ele revela que, ao iniciar no tênis de mesa, ainda criança, não conseguia ficar em pé, devido à severa atrofia muscular. “A cada dia que treinava sentia que meu corpo ficava mais firme. No início, para eu jogar uma partida, eu tinha que me segurar na mesa. Hoje, jogo em pé, só com minhas forças. Tudo graças ao esporte, ao tênis de mesa”.

O esporte aumentou a autoestima

André diz também que a prática esportiva aumentou sua autoestima e se ver como um vencedor. Mas, para chegar a este estágio da vida ele treina diariamente duas horas e meia por dia todos os dias da semana e ainda tem tempo para fazer fisioterapia. Nada mal para quem só pôde andar aos sete anos de idade e teve a experiência de passar por duas cirurgias (nas pernas e no estômago).

A mãe, Natália de Jesus, sempre acompanha o filho nas competições e na Olesc, em Videira, não tem sido diferente. “O esporte ajudou ao meu filho não somente no aspecto físico, mas também na parte mental. Aconselho a todos os pais que têm filhos com deficiência a colocá-los no esporte. Meu filho não andava e hoje pratica tênis de mesa”.

A etapa estadual da Olesc é uma promoção do Governo de Santa Catarina @governosc, por meio da Fesporte, em parceria com a prefeitura de Videira.

Texto: Antonio Prado/Ascom Fesporte

Pagina 1 de 27