Publicado em Geral
Escrito por

Fesporte anuncia luto de três dias por Kiyoshi Otuki

O presidente da Fesporte, Kelvin Soares, anuncia luto oficial de três dias no meio esportivo de Santa Catarina, em virtude do falecimento do João Kiyoshi Otuki, ex-presidente da Fesporte e comendador do esporte catarinense, ocorrido nesta sexta-feira, dia 2.

Determina ainda que durante o período a bandeira da Fesporte seja hasteada em meio mastro em sinal de luto.

 

Publicado em Geral
Escrito por

Esporte catarinense perde João Kiyoshi Otuki

A Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte) manifesta o mais profundo pesar pelo falecimento de seu ex-presidente e comendador do esporte catarinense João Kiyoshi Otuki, ocorrido na madrugada desta sexta para sábado, 3 no Hospital da Unimed, em São José,  aos 73 anos. Santa Catarina perde um de seus grandes nomes. Exemplo de empenho e a dedicação. Com sua morte fica uma lacuna, mais a certeza de um grande legado deixado para as futuras gerações.

Kiyoshi foi o segundo presidente da Fesporte e dirigiu a entidade no período de 1993 a 1994. Nasceu em São Paulo, em 20 de julho de 1948. Era licenciado em Educação Física pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduado na Universidade Federal de Santa Catarina. Iniciou sua carreira como atleta em 1962, representando o Colégio Estadual de Cambará, na modalidade de natação, nos primeiros Jogos Escolares do Paraná. 

Em 2002 recebeu a Comenda do Mérito Desportivo do Conselho Estadual de Esporte, tornando-se comendador do esporte de Santa Catarina, a maior honraria do setor esportivo. Em 2019, em Brusque, a Fesporte o homenageou na cerimônia do Acendimento do Fogo Simbólico dos Jasc pelos grandes serviços prestados ao esporte catarinense.

Iniciou sua atividade profissional em Santa Catarina, em 1971, como docente da Escola Superior de Educação Física e Desporto de Joinville, sendo também professor de prática esportiva na Faculdade de Engenharia de Joinville da Udesc. Em 1989, assumiu a Divisão de Esportes de Joinvile e, em 1990, criou a Fundação Municipal de Esportes, da qual foi presidente até 1992, ano que venceu os Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), quebrando a hegemonia de 24 anos de Blumenau.

Em 1993, trabalhou no setor de planejamento de Diretoria de Desportos do Governo de Santa Catarina, sendo coordenador da equipe que elaborou o primeiro documento da Política Estadual de Desporto. Em 1995, voltou às atividades docentes no Cefid/Udesc. De 1996 a 2001 foi comentarista esportivo na TVBV, SBT e TV Cultura, atuando também como professor e coordenador do curso de Educação Física e Esporte da Unisul.

Como professor aposentado Kiyoshi não abandonou o esporte, dedicando-se à prática da natação, sua modalidade preferida. Professor aposentado, virou um supercampeão nas competições master de natação no estado e pelo país, conquistando várias medalhas e troféus. 

Entrou para a história dos Jasc como o atleta mais velho a disputar o torneio da natação. Foi em 2010, nos 50 anos da competição, em Brusque. João Kiyoshi, então com 62 anos, realizou um sonho de participar da competição como atleta. Nadou por Biguaçu, na prova dos 200 metros lado livre.

Em 12 anos como atleta máster da natação Kiyoshi conquistou mais de 500 medalhas e em 2018 foi considerado o melhor atleta brasileiro na sua categoria. “O esporte catarinense perdeu um de seus grandes protagonistas. João Kiyoshi deixa um legado imensurável para toda a sociedade. Exemplo de amor ao esporte seja como dirigente ou atleta. Vai deixar saudade”, destaca o presidente da Fesporte Kelvin Soares.

Texto: Antonio Prado

Ascom Fesporte

 

Publicado em Geral
Escrito por

Projetos esportivos de sucesso em SC: Handebol de Itajaí

Destaque na descoberta e desenvolvimento de talentos na modalidade, Itajaí sempre revelou grandes nomes para o handebol brasileiro. Nos últimos anos esta realidade se intensificou principalmente pelo trabalho de base que é desenvolvido na cidade. Um exemplo desta filosofia de atuação é o Projeto Handebol Masculino Itajai/Univali/FMEL, que desde 2003 atua no desenvolvimento da modalidade.

“Para se ter uma ideia, desde 2007, quando foi firmada uma parceria com a Univali, já são mais de 15 atletas que saíram do projeto diretamente para equipes das principais ligas europeias. Mais de 20 atletas do projeto passaram pelas Seleções Brasileiras de Base do Brasil neste período”, relata Gabriel Soares Vieira,  coordenador dos Pólos de Formação  de Atletas, que destaca também que muitos foram revelados pelos eventos da Fesporte, como Joguinhos Abertos de Santa Catarina, Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc) e Jogos Escolares de Santa Catarina (Jesc).

 Atualmente quatro atletas com passagens pelo projeto compõem a Seleção Brasileira Adulta que em janeiro disputou o Campeonato Mundial da modalidade no Egito e que em julho próximo representará o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio. São eles: Rangel da Rosa (goleiro do Ciudad de Logroño/Espanha), Luciano Silva (armador esquerdo do SL Benfica/Portugal), José Toledo (armador direito do Baia Mare/Romênia) e Arthur Malburg (armador central do Valladolid/Espanha).

 Cristiano Sebben, da seleção brasileira e sendo campeão em evento da Fesporte (Foto: Divulgação)

Além do sucesso no rendimento com atendimento a 80 atletas, o Projeto Handebol Masculino Itajai/Univali/FMEL é elogiado pelo trabalho de base, pois atende cerca de 100 crianças e adolescentes entre oito e 14 anos na iniciação esportiva, por meio de projeto social, divididos nas categorias Infantil (até 14 anos) e Cadete (até 16 anos). Também são atendidas as categorias: Juvenil (até 18 anos), Júnior (até 21 anos) e Adulto. Os ginásios Gabriel Collares e da Univali são os palcos das atividades.

De acordo com Gabriel Vieira, a partir de 2007, o projeto de Itajaí iniciou sua fase de maior destaque no handebol masculino catarinense. Já são 22 títulos entre os quais: 8 títulos de Jasc, 8 títulos de Joguinhos Abertos e 6 de Olesc. Atualmente a FMEL Itajaí é tricampeã dos Joguinhos e bicampeã da Olesc e Jogos Abertos.

A nível nacional o handebol itajaiense também apresenta destaque quando o assunto são conquistas e formação de atletas. Desde 2007 sempre figura entre os quatro primeiros colocados do Campeonato Brasileiro Juvenil (sub18), tendo conquistado o título em quatro oportunidades. A saber: Bicampeão Brasileiro Cadete (sub16), Pentacampeão Brasileiro Júnior (sub21), Campeão Brasileiro Universitário e Campeão Brasileiro Adulto.

Equipe de trabalho experiente e premiada

Hoje o projeto é coordenado por dois grandes nomes da modalidade a nível internacional: Claudia Monteiro e Drean Dutra, que são primos-irmãos. Cláudia atuou na seleção brasileira como atleta, coleciona conquistas Brasil a fora e foi a técnica responsável pela seleção feminina na conquista dos três primeiros títulos mundiais da Confederação Brasileira de Handebol, nos Campeonatos Mundiais de Handebol de Areia.

Handebol de base para crianças e adolescentes (Foto: divulgação)

Drean Dutra fez parte do grupo de atletas que representou o Brasil pela primeira vez em uma edição de Jogos Olímpicos. O grupo pioneiro disputou as Olimpíadas de Barcelona 1992. Decacampeão dos Jasc, entre atleta e técnico. Drean já conquistou quase todas competições a nível nacional: campeonatos brasileiros infantil, cadete, juvenil, júnior, adulto da 1ª divisão, escolar e universitário. O único título que falta na sua coleção é o de campeão da Liga Nacional de Handebol, na última edição o grupo Itajaiense terminou com a 5ª colocação.

Rangel, goleiro formado no projeto. Hoje integra seleção adulta que disputará Tóquio (Foto: divulgação)

Além da formação esportiva de sucesso, o Handebol Masculino de Itajaí também proporciona a formação cidadã e profissional de seus atletas, como destaca o professor Drean Dutra. “Atualmente o maior foco de nosso projeto é transformar o handebol num meio de formação completa para nossos atletas. Estamos com um trabalho social muito forte na iniciação esportiva com apoio do ministério da cidadania através da secretaria especial do esporte. E mantemos o trabalho nas categorias de base, como transição para o atleta chegar até a fase universitária. Onde o projeto já proporcionou a formação profissional de mais de 60 jovens através da parceria com a Univali. Hoje temos 26 atletas realizando formação universitária com bolsa universitária, isso expande muito as oportunidades de vida para os meninos.”, destaca Dutra.

Nota: se você tem um projeto esportivo de sucesso em SC mande sua história pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. contando a relação do projeto com os eventos da Fesporte. Deixe telefone de contato. Sua história pode ser selecionada para ser publicada em nosso site e redes sociais.

Publicado em Geral
Escrito por

Equipe técnica se reúne para ajustes no calendário 2021

Nesta terça-feira, 30, o presidente da Fesporte, Kelvin Soares, reuniu a equipe técnica da entidade para realizar alguns ajustes no calendário esportivo de 2021. Segundo Kelvin, as propostas serão encaminhadas na próxima segunda-feira, 5, para serem homologadas pelo Conselho Estadual de Esporte. 

“Entendemos que nossas competições podem começar assim que a pandemia e as restrições que ela nos impõe começarem a baixar. Nossa proposta é desenvolver o calendário efetivo a partir de agosto deste ano”, destacou Kelvin. 

Segundo o presidente, assim que o calendário for homologado a Fesporte fará a divulgação oficial em seus canais de comunicação (site e redes sociais).

Participaram da reunião integrantes da Diretoria de Esporte, Gerência de Esporte de Rendimento, Gerência de Esporte de Base e Inclusão e Gerência de Esporte de Participação.

Confira a entrevista com o presidente Kelvin Soares

 

Texto e Imagens: Antonio Prado

Ascom Fesporte

Publicado em Geral
Escrito por

Fesporte se reúne com esportistas da região carbonífira e foz do Rio Itajaí

Nesta quinta (25) e sexta-feira (26) o presidente da Fesporte, Kelvin Soares, esteve em Criciúma  com integrantes da prefeitura e o colegiado de esportes da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (AMEREC). O encontro ocorreu no Salão Ouro Negro da Prefeitura de Criciúma.

Há cerca de uma semana Estevan Cattoni, assessor de gabinete da Fesporte, teve uma reunião similar, em Itajaí, com representantes esportivos da Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí (AMFRI).

Além da reunião com integrantes da AMEREC, o presidente da Fesporte se reuniu com o prefeito de Criciúma Clésio Salvaro, em que falou que pretende implantar ações de valorização do esporte como o esporte de base e escolar citando como exemplo o Programa de Iniciação Desportiva (PID), que oferecerá, de forma gratuita,  esportes  coletivos, individuais, de raquetes e de lutas para um público alvo de um milhão de crianças em diversos núcleos espalhados pelo Estado. 

Segundo Kelvin e Estevan as reuniões foram bastante positivas, pois serviram para os representantes tirarem suas dúvidas a respeito dos cuidados sanitários no esporte, em época de pandemia, baseados em decreto estadual e nota normativa da Secretaria Estadual de Saúde e também das novas ações da Fesporte a partir de 2021.

“Os encontros foram importantes, pois podemos ouvir as demandas dos municípios, falar de nossas atividades e estreitar relações, pois eles são nossos principais clientes”, destaca Kelvin.

Em Itajaí Fesporte se reuniu com representantes de oito municípios (Foto: Ascom AMFRI)

Em Criciúma estiveram presentes Carlos Sweder, presidente do Colegiado e representante  de Morro da Fumaça; Neto Ugione, presidente da Fundação Municipal de Esporte de Criciúma, além de representantes de Urussanga, Siderópolis, Nova Veneza, Içara, Forquilhinha, Orleans e Treviso.

Já em Itajaí estiveram presentes Gabriela Boff,  presidente do Colegiado da AMFRI e superintendente da Fundação Municipal de Esportes de Navegantes, além dos representantes de Balneário Camboriú, Bombinhas, Itajaí, Itapema, Luiz Alves, Navegantes,  Porto Belo e também Henrique Bueno, assessor do deputado estadual Fernando Krelling.

No encontro foi discutido sobre a elaboração, entre os municípios, de um Plano de Contingência do Esporte para a retomada dos treinos. O levantamento dos espaços esportivos na região também esteve em pauta por meio do georreferenciamento esportivo, mapeamento realizado pela Fesporte para identificar a infraestrutura esportiva do Estado de Santa Catarina, com intuito de possibilitar de forma eficaz as ações de políticas públicas do governo estadual no setor esportivo. 

Presidente da Fesporte, Kelvin Soares, com o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro e sua equipe do setor do esporte (Foto: Ascom prefeitura Criciúma)

Neste sentido, o Colegiado solicitou a viabilidade da disponibilização das informações do Georreferenciamento das estruturas esportivas para à instituição, a fim de auxiliar nas ações que serão desenvolvidas pelo Colegiado.

A presidente do Colegiado da AMFRI e superintendente da Fundação Municipal de Esportes de Navegantes, Gabriela Boff, destaca a importância da reunião. “Foi uma aproximação dos nossos municípios com a Fesporte e com o legislativo, com os assessores colocando os gabinetes à disposição dos municípios. Eles ouviram nossas angústias e demandas, e irão trazer as respostas e encaminhamentos em breve”, ressalta Gabriela.

Além de Itajaí e Criciúma, Kelvin pretende conhecer os demais municípios catarinenses e suas estruturas esportivas conversando com prefeitos e dirigentes municipais. A ideia é ter um mapeamento in-loco da realidade para que ações conjuntas possam ser tomadas em prol do esporte catarinense. Entre os municípios que já foram visitados constam: Joinville, Jaraguá do Sul, Rio do Sul, Lages,Campos Novos, Tubarão, São Ludgero, Sombrio, Criciúma e Araranguá.

Texto: Antonio Prado

Ascom Fesporte

Publicado em Geral
Escrito por

Prefeito de Tubarão recebe a visita do presidente da Fesporte

O prefeito Joares Ponticelli recebeu nesta quinta-feira (25) a visita do presidente da Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte) Kelvin Soares. A pauta de assuntos discutidos reuniu eventos promovidos pela própria Fesporte e a intenção de criação de um projeto de escolinha de esportes náuticos para estudantes por parte da prefeitura.

Também participaram desse encontro o diretor-presidente da Fundação Municipal de Esporte (FME) Ernani Buerger e o vice-presidente André Orlandi. Kelvin Soares colocou a Fesporte à disposição da prefeitura e fez uma série de considerações a respeito do calendário oficial de eventos e o atual momento de pandemia. Ele também apresentou o formato do programa de incentivo ao desporte junto às universidades.

Joares, por sua vez, relatou a intenção da prefeitura de Tubarão criar um projeto de escolinha de esportes náuticos para estudantes, semelhante ao projeto Navegar, após a construção de uma marina pública no Rio Tubarão sob a passarela Ângelo Zaboti. Essa obra deve ser iniciada nas próximas semanas.

Texto: Marcelo Becker/Decom/PMT

Publicado em Geral
Escrito por

Projetos Esportivos de Sucesso em SC: Voleibol Nova Trento

Rosamaria, da Seleção Brasileira e da Volleyball Casalmaggiore, da Itália; Karoline Tormena, Viu Mariners, do Canadá; Raquel Loff, Slavia EU Bratislava, da Eslováquia. O que essas atletas do voleibol tem em comum? Todas são crias do Projeto Voleibol Nova Trento (PVNT), criado em 1998 por Vandelina Tomasoni Ribeiro, a Vandeca. Em 2002 o projeto começou com um período de expansão ao se transformar em Associação de Pais e Amigos do Esporte Neotrentino.

Hoje o projeto atende cerca de 80 meninas entre 8 a 18 anos e está dividido nas categorias Iniciação (até 12 anos), Pré-mirim (até 13 anos), Mirim (até 14 anos), Infantil (até 16 anos) e Infanto (até 18 anos). Essas cinco categorias estão divididas em outras duas categorias específicas: Projeto Social, com a inclusão e oportunidade para todas as crianças e adolescentes da comunidade; e o Projeto Formador de Novos Talentos, que da a oportunidade para meninas de outras cidades e estados com perfil para a modalidade de voleibol para formação profissional. 

Referência para o Brasil

Passados 21 anos da iniciativa, hoje Nova Trento não se destaca apenas no campo do turismo religioso, como a cidade da Santa Paulina, mas também como referência do Brasil no voleibol feminino de base. Pelas mãos de Vandeca já foram reveladas mais de 20 jogadoras para diversas categorias da seleção brasileira. Atletas que brilharam nos eventos da Fesporte como Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc), Joguinhos Abertos de Santa Catarina e Jogos Escolares de Santa Catarina (Jesc).

O trabalho é tão bem feito que chamou atenção do treinador super campeão Bernardinho e seu filho Bruninho, que encantados, aceitaram de imediato serem padrinhos do projeto. “Decidi apadrinhar esse projeto, pois sei da seriedade da Vandeca e da paixão dela por voleibol e por formar jovens atletas ou ótimos cidadãos. O esporte feito como esse projeto de Nova Trento deve ser espelho para que as pessoas enxerguem o esporte como uma ferramenta fundamental na sociedade”, destaca Bruninho.

O Projeto Nova Trento é um projeto de base, que atende meninas da comunidade e oportuniza adolescentes de outras regiões do Brasil para desenvolver um trabalho de excelência na formação de novos talentos para o voleibol brasileiro.

Nova Trento participa com destaque nas competições da Fesporte (Foto: Antonio Prado)

O início

Voltado para o lado de formação, valorizando toda a parte física das jogadoras e a rotina de treinamento, o projeto de vôlei possui uma equipe de base, a Nova Trento/TIM. O time neotrentino já formou várias atletas que alcançaram um grande patamar na modalidade, seja atuando na Superliga Brasileira de Voleibol Feminino ou até em equipes do exterior.

Mas tudo isso teve um início. Vandeca lembra que o pontapé inicial foi em 1998 ao ser  convidada para trabalhar com um grupo de meninas da cidade e aos poucos as coisas foram acontecendo. Como sempre possuiu uma boa relação com o vôlei e, inclusive, foi atleta, Vandeca dedicou boa parte de sua vida trabalhando em cima da escolinha e da equipe de Nova Trento. “Hoje o projeto existe por causa da Vandeca e a Vandeca existe por causa do projeto, uma coisa passou a se unir a outra”, diz.

A treinadora revela que a partir dos bons resultados no início da caminhada nas competições escolares da Fesporte e estaduais formatou a ideia em trazer outras meninas de várias parte dos estado e do país para compor o time de base. A vontade saiu do campo do desejo para a prática e a partir daí muitas meninas desembarcaram em Nova Trento com o desejo de que o Projeto Voleibol Nova Trento fosse o trampolim inicial para uma carreira de sucesso. 

Em 21 anos o projeto já revelou inúmeras atletas para a seleção brasileira em diversas categorias, Rosamaria (de azul) foi uma delas

Segundo Vandeca as dificuldades em se manter no esporte é evidente. Muitas vezes com pouca valorização, principalmente projetos de base, os sonhos de muitos atletas não podem ser concretizados por conta de dificuldades financeiras de seus familiares. A treinadora, que já investia muito nesta iniciativa, passou a buscar recursos. A patrocinadora master e que carrega o nome da equipe, a TIM, é uma das empresas que acreditou neste projeto de base, apesar da pouca valorização e visibilidade do atleta quando ele ainda não atingiu o ápice da carreira.

Outros parceiros também auxiliam na iniciativa esportiva como a Prefeitura de Nova Trento, Fundo da Infância e Adolescência (FIA) e a Lei de Incentivo ao Esporte do Ministério da Cidadania/Secretaria Especial do Esporte, além de apoios de empresas do município.

A professora Vandeca faz questão de frisar que a parte social  do projeto é bastante valorizada, pois segundo ela, além de oportunizar a garota que sonha em ser profissional, o Voleibol Nova Trento envolve crianças e famílias. Os treinos na escolinha de iniciação são realizados de forma diferenciada, buscando incentivar a prática do esporte, ao invés de almejar um grande rendimento do atleta. Por outro lado, a parte de formação possui um trabalho direcionado, com academia e treinamentos mais específicos.

“Hoje com a pandemia estamos com nossos trabalhos restritos a poucas crianças e adolescentes, mas assim que essa realidade passar retomaremos com toda a força essa iniciativa social”, esclarece Vandeca, que além de trabalhar com a parte da escolinha, cuida do setor administrativo do PVNT, ficando o professor Marcelo Garim (com auxilio de um assistente) responsável para trabalhar o setor do rendimento. 

Professora Vandeca, a idealizadora do projeto

“Toda criança que quer praticar um esporte é recebida e não é cobrado nada. O projeto oportuniza também aquela menina que quer se tornar uma atleta de potencial. Espaço tem para todo mundo. Muitas pessoas não conseguem realizar seus sonhos por falta de oportunidade. Então, se a gente tem essa capacidade, se a gente pode dar essa oportunidade, porque não?”, questiona Vandeca.

Revelando grandes nomes

Grandes  jogadoras que desfilam seus talentos em diversas quadras do Brasil e do exterior são oriundas do Voleibol Nova Trento. A neotrentina e fenômeno do vôlei feminino, Rosamaria Montibeller, hoje jogadora da equipe italiana Volleyball Casalmaggiore, iniciou no Nova Trento/TIM e é natural da cidade. Ela coleciona diversos títulos pela Seleção Brasileira e conquistou o carinho da torcida verde e amarela. Foi vista também com bons olhos quando atuou pelo Pinheiros, Minas Tênis Clube e pelo Praia Clube, na Superliga.

“Ter iniciado no Voleibol Nova Trento fez toda a diferença no decorrer da minha carreira. Iniciei quando era apenas uma criança e todos os valores que aprendi ali aplicavam-se muito além do vôlei”, conta Rosamaria. “Nunca estivemos só para aprender técnica e tática, mas também aprendemos sobre respeito, educação e trabalho em equipe. Com certeza essa base me levou a conquistar tudo o que conquistei. Hoje em dia o projeto é reconhecido Brasil afora por todo esse diferencial. Tenho muito orgulho de ter meu nome envolvido nessa história.”, ressalta.

Orgulho também quando Vandeca lembra da participação de suas atletas nos eventos da Fesporte. “Participar de Olesc, Joguinhos e Jesc sempre é muito importante na formação da carreira das atletas, pois além de participar de competições de alto nível elas aprendem na prática todas as nuances de uma grande competição”. Finaliza.

Confira alguns títulos de Nova Trento

Jesc 12-14 anos -  5 títulos

Jesc 15-17 anos – 1 título

Campeão Olesc – 5 títulos

Campeão Joguinhos Abertos de SC – 4 títulos

Campeão brasileiro escolar 15-17 anos –  6 títulos

Campeão Sul-Americano Escolar 12 a 14 anos– 1 título

Torneio da Amizade Trentino, Itália – 1 título

Mundial Escolar, Baotou, China, 3º lugar

Algumas atletas reveladas nos últimos anos

Rosamaria Montibeller -Seleção Brasileira, Volleyball Casalmaggiore, da Itália 

Gabriella Rocha - Central - Praia Clube, MG

Karoline Tormena - Minas Tênis, MG,  Slavia EU Bratislava, da Eslováquia

Amabilie Koster – Sesi, SP 

Raque Lloff – Sesi, SP, Slavia EU Bratislava, da Eslováquia

Daniela Ceccheto – Sesi, SP

Emily Dos Santos – Pinheiros, SP

Simone Scherer - Peru

Marina Scherer - Elche Voleibol Clube, Espanha

Ana Paula Frare - Atletico Voleibol, Espanha

Gabriela Stavnetchei - Zambelli Orvieto, Itália

Fernanda Mendes, Blumenau, SC

Texto: Antonio Prado e Thiago Facchini

Publicado em Geral
Escrito por

21 de março: Dia Internacional da Síndrome de Down

No dia 21 de março, celebramos o Dia Internacional da Síndrome de Down! A cada ano que passa, a voz das pessoas com a deficiência e daqueles que vivem e trabalham com elas se torna mais forte. Nós da Fesporte temos orgulho dos nossos atletas em nossas competições como Jogos Paradesportivos de Santa Catarina (Parajasc) e Jogos Escolares Paradesportivos de Santa Catarina (Parajesc). Vocês são nossas inspirações.

Publicado em Geral
Escrito por

Kelvin Soares visita instalações esportivas de Videira

O presidente da Fesporte, Kelvin Soares, esteve na tarde desta sexta-feira, 19, em Videira, conhecendo a infraestrutura esportiva do município visando futuras parcerias.  Soares foi recepcionado pelo prefeito  Dorival Carlos Borga e pelo superintendente da Fundação Municipal de Esportes Jefferson Fiorelli.        Consta no calendário da Fesporte a realização da etapa estadual dos Joguinhos Abertos de Santa Catarina em setembro. Entre os diversos locais visitados estiveram o complexo esportivo do Parque da Uva e a pista de atletismo do complexo Sérgio Luiz Marafon.

O prefeito Dorival Borba se disse muito feliz pela visita oficial da Fesporte, lembrando que o município já sediou eventos importantes com a entidade, entre os quais Jogos Escolares de Santa Catarina (Jesc) 15 a a 17 anos, em 2018, e a Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc) em 2019.

“É claro que estamos em um momento delicado devido à pandemia da Covid 19, mas não podemos parar. Quando isso tudo passar temos que estar preparados para tudo, inclusive aos eventos esportivos. Nosso município já sediou grandes eventos da Fesporte e mostrou que tem competência para sediá-los, inclusive, quem sabe, os Jogos Abertos, que é nosso grande objetivo no futuro”, disse o prefeito.

Eventos de qualidade

Borba disse ainda que eventos esportivos não são gastos e sim investimentos. “Quando se sedia um evento da Fesporte fica um legado em equipamentos esportivos públicos que são usados por crianças, jovens e a comunidade de uma forma geral”.

Kelvin Soares, por sua vez, disse que a capacidade de Videira em sediar eventos já foi testada e aprovada. “Nossos eventos aqui foram sempre com alto grau de qualidade, sempre foram muito bem entregues. Um exemplo foi a Olesc em 2019, um evento de primeira grandeza. Por isso estamos aqui para conhecer a infraestrutura esportiva e oferecer parceria futura com a Fesporte”.

O presidente ressaltou que mesmo com a pandemia não se pode parar com o trabalho de política pública para o esporte. “Sabemos que há uma pressão muito grande na rede hospitalar, mas temos que nos preparar para quando isso passar. Uma licitação para um evento esportivo, por exemplo, não se faz em seis meses, por isso temos que nos organizar antecipadamente”.

Fortalecimento da economia local

 Para o dirigente um evento da Fesporte é mais que um evento esportivo. “Sabemos do incremento ao ISS (Imposto Sobre Serviços) municipal quando uma cidade  recebe um evento da Fesporte, ou seja, há um desenvolvimento econômico. O prefeito Dorival tem muito claro isso. Há um investimento do município, mas  há também  um retorno financeiro muito maior. Além disso há outro ganho para a sociedade: desenvolvimento social, da saúde e da educação, principalmente para crianças e adolescentes”, finalizou Kelvin Soares. 

Desde que assumiu a Fesporte, no início de fevereiro, Kelvin Soares vem visitando municípios para conhecer a infraestrutura esportiva de cada um entre os quais Joinville, Jaraguá do Sul, Rio do Sul, e Lages. Já estão na rota do presidente para estes dias Campos Novos, Tubarão, São Ludgero, Criciúma e Araranguá.

Texto: Antonio Prado

Ascom Fesporte

Publicado em Geral
Escrito por

Fesporte implantará Programa de Iniciação Esportiva de SC

Projeto beneficiará um milhão de crianças em diversos núcleos  esportivos espalhados pelo Estado no contraturno escolar

O Governo do Estado, por meio da Fesporte, começou o processo de implantação do Programa de Iniciação Desportiva (PID) de Santa Catarina. Até o final do mês o presidente da Fesporte, Kelvin Soares, estará em Brasília, na Secretaria de Esportes do Ministério da Cidadania para cadastrar oficialmente o programa e buscar recursos. 

O PID pretende oferecer de forma gratuita  esportes  coletivos, individuais, de raquetes e de lutas para um público alvo de um milhão de crianças em diversos núcleos espalhados pelo Estado de Santa Catarina no contraturno escolar. As ações esportivas serão desenvolvidas nos espaços das instituições de ensino superior parceiras ou nas unidades de ensino estaduais que disponibilizarão bolsistas. 

Além da viagem à Capital Federal, Soares começa a conversar com possíveis parceiros  do projeto. É o caso da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) em que seu presidente, Mário Aguiar, se inteirou desta iniciativa da Fesporte, por meio de uma reunião virtual, na quinta-feira, 18, com Kelvin Soares.

Parceria com a Fiesc

A proposta é que as duas instituições formem parceria para a operacionalização do projeto, juntamente com  Instituições de Ensino Superior (IES), e Governo de Santa Catarina, por intermédio da Fesporte e Secretaria  Estadual de Educação. 

Pelo acordo a Fiesc intermediaria junto às empresas afiliadas à adoção ao projeto por meio  de abatimento fiscal no imposto de renda, por intermédio da Lei de  Federal de Incentivo ao Esporte (Lei 11.438/06). “O recurso, via abatimento de imposto de renda, seria destinado a pagar bolsa estudantil para universitários. Ou seja, estaríamos investindo no acadêmico, bancando seu estudo e ele entregaria um serviço para a comunidade, que é a monitoria esportiva das modalidades contempladas no projeto”, esclarece Kelvin Soares.

A supervisão e coordenação do programa ficará a cargo da IES e Fesporte, respectivamente. 

A Lei de Incentivo ao Esporte estabelece benefícios fiscais para pessoas físicas ou jurídicas que estimulem o desenvolvimento do esporte através do patrocínio/doação de 6 ou 1%, respectivamente, sobre o valor total do imposto para projetos desportivos e paradesportivos.

Mário Aguiar elogiou a iniciativa da Fesporte e disse que a Fiesc pretende participar do projeto. “Podemos nos engajar sim. Aqui investimos no social, por meio de abatimento no imposto de renda. Temos um setor específico aqui, que é o fundo social, que podemos ajustar para investimento no esporte”. 

Nove macro regiões de SC serão atendidas

Segundo Kelvin Soares o aporte financeiro via incentivo fiscal para manter o PID está orçado na ordem de R$ 8 milhões, recurso destinado a custear bolsa de estudos para acadêmicos, material e equipamentos esportivos, além de capacitação dos envolvidos.

A abrangência do projeto estará dividida em nove macro regiões: Grande Oeste, Meio Oeste, Planalto Norte, Nordeste, Foz do Rio Itajaí, Vale do Itajaí, Grande Florianópolis, Serra Catarinense e macro região Sul.

Na reunião com a Fiesc, Kelvin revelou que a Fesporte já recebeu propostas de algumas instituições universitárias para serem responsáveis pela criação do programa de capacitação técnica dos acadêmicos bolsistas e gestores municipais envolvidos no PID.

“O PID é um grande programa. Ele está pautado em quatro pilates: desenvolvimento social, saúde, educação e no desenvolvimento econômico. Precisamos atrair investimento do setor privado para o esporte e este projeto proporciona isso. Ele deu certo em Joinville e dará certo em todo o Estado”, defende Soares.

Segundo  o presidente da Fesporte o PID é a oportunidade de preencher uma lacuna do setor. “Muita gente fala da importância  do esporte de base, da iniciação esportiva na escola, de atrair o setor privado para parcerias, mas pouco se faz efetivamente. E o PID faz isso. Ele é uma oportunidade de fomentar o esporte de base catarinense por meio do Governo de Santa Catarina e entidades parceiras”. 

Texto: Antonio Prado

Ascom/Fesporte

Publicado em Geral
Escrito por

Fesporte e Instituto Guga Kuerten estreitam parcerias

Estreitar parcerias para fortalecer o esporte de base. Este foi o tema da reunião on-line entre  a Fesporte e o Instituto Guga Kuerten (IGK) na tarde desta quinta-feira, 18. No encontro participaram o presidente da Fesporte, Kelvin Soares,  a presidente do IGK Alice Kuerten e seu gerente de esporte Marcelo Bittencourt.

Alice versou sobre toda a linha de ação do Instituto principalmente na área social em que atende 400 crianças por meio do Projeto Campeões da Vida, composto por cinco núcleos (bairros: Saco Grande, Itacorubi, Biguaçu, São José e Palhoça). As crianças e adolescentes são atendidas duas vezes por semana no contraturno escolar com oficinas de tênis e esportes complementares, num trabalho interdisciplinar com as áreas de Educação Física, Psicologia e Serviço Social.

O Programa é orientado por um tema pedagógico anual e embasado teoricamente pelos 4 pilares da educação: aprender a ser, aprender a conviver, aprender a conhecer e aprender a fazer. 

Kelvin Soares destacou que a Fesporte pretende fortalecer seu campo de atuação na área social e para isso a entidade está implantando o Programa de Iniciação Desportiva (PID), que visa levar esporte de base para crianças e adolescentes em vários pontos de Santa Catarina, em parceira com universidades, prefeituras, Secretaria Estadual de Educação e Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc).

“Queremos o Instituto Guga Kuerten no fortalecimento do esporte de base juntamente com a Fesporte, pois é uma instituição que já trabalha muito bem com projetos sociais”, destacou Kelvin.

 “Vemos a necessidade na área de formação de professores, monitores em algumas modalidades, como o tênis, por exemplo”, constata Alice Kuerten, que acredita que uma ação governamental como o PID trará muitos benefícios para o esporte catarinense.

Texto: Antonio Prado

Ascom Fesporte

Publicado em Geral
Escrito por

Jaraguá do Sul busca apoio para complexo esportivo

Buscar apoio junto ao Governo Estadual, por meio da Fesporte, para melhorias no Complexo Esportivo Murilo Barreto em Jaraguá do Sul. Foi com este objetivo que ocorreu uma reunião nesta sexta-feira, 12, em Jaraguá do Sul, entre a professora Natália Lúcia Petry, Secretária de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) de Jaraguá do Sul, e sua equipe, com o presidente da Fesporte Kelvin Soares.

O projeto para captação de recursos está em fase de construção. Entre as melhorias propostas está a construção da cobertura da arquibancada, lanchonete e vestiários da pista de atletismo. Segundo Natália, além do complexo esportivo, consta, no futuro, a construção de um complexo aquático, estande de tiros e parques públicos para a prática esportiva. “Estamos focados em termos boas estruturas para fomentar o desenvolvimento do esporte no município”, esclarece Natália”.

Para o Kelvin Soares iniciativas municipais como as jaraguaenses são importantes para estruturar o setor esportivo do estado. “Quanto mais municípios estruturados melhor para Santa Catarina. Estrutura forte significa esporte forte e quem ganha é a sociedade catarinense. E nós do Governo, por meio da Fesporte, estamos dispostos a realizar parcerias viáveis”.

Texto: Antonio Prado

Ascom Fesporte

 

Pagina 3 de 56